Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em duelo indefinido, Chelsea luta contra Manchester e história

Até hoje, só duas equipes avançaram após perderem a primeira partida de um duelo mata-mata em casa na Liga dos Campeões

Gazeta |

O Chelsea terá uma missão nada fácil nesta terça-feira. Além de ter que enfrentar o Manchester United, um dos mais respeitados clubes do mundo e seu grande rival, a equipe precisará ir contra a história da Liga dos Campeões da Europa. Depois de ter perdido o primeiro jogo em Stamford Bridge, o time de azul tenta ser apenas o terceiro clube a reverter um confronto de mata-mata depois de perder em casa na era moderna da competição. O duelo, no Old Trafford, está marcado para as 15h45 (horário de Brasília).

Até hoje, somente duas equipes conseguiram passar de fase após perderem a primeira partida de um duelo mata-mata em casa. O primeiro a conseguir isto foi o holandês Ajax, em 1996. A equipe perdeu para o Panathinaikos em Amsterdã na partida de ida, mas obteve uma boa vitória na Grécia para avançar e chegar até as finais. O outro time que conseguiu isto foi justamente na atual temporada da competição. A Internazionale de Milão perdeu o primeiro jogo das oitavas para o Bayern por 1 a 0, mas acabou virando em Munique e passou às quartas, onde está em desvantagem novamente diante do Schalke 04, tendo perdido o primeiro jogo por 5 a 2.

Coincidentemente, o placar dos confrontos que acabaram revertidos foram o mesmo que o Chelsea sofreu para o Manchester na primeira partida: 1 a 0. A tarefa, no entanto, não é nada simples.

AFP
Rooney comemora seu gol, o único do jogo, na primeira partida das quartas da Liga dos Campeões
Na história da Liga dos Campeões, Manchester e Chelsea já jogaram duas vezes. Além do confronto da semana passada, vencido pelo Manchester, as equipes jogaram na final da competição em 2008 e o Manchester também levou a melhor. Depois de empate no tempo normal e na prorrogação, a equipe de Alex Ferguson venceu nos pênaltis.O próprio histórico é um fator motivador para o Chelsea. De acordo com o técnico Carlo Ancelotti, seu time tem que acreditar que pode fazer história para passar de fase. "Se dois conseguiram, não tem por que o terceiro não fazer. Nós temos que acreditar que podemos vencer lá. Não sei se conseguiremos, mas, quando o jogo começar, temos que acreditar que venceremos", comentou o treinador.

Apesar de não revelar qual vai ser, o técnico acenou com a possibilidade de fazer modificações em sua equipe para a partida, tentando buscar o resultado. "Todo mundo está tentando resolver o problema que temos de maneira individual, precisamos nos manter focados e trabalhar mais em conjunto", afirmou. A principal possibilidade é que o técnico volte ao esquema de jogo que vinha dando certo nas últimas temporadas, com três atacantes. Com isto, ele pode sacar Fernando Torres da equipe e promover as entradas de Malouda e Anelka. Quem tem a saída praticamente certa é o meia Zhirkov, que foi bastante criticado após sua atuação na última semana.

Pelo lado do United, que joga em casa, a expectativa é de mais um jogo bom, assim como o da última semana. O técnico Sir Alex Ferguson acredita que o time pode se beneficiar da obsessão dos rivais em conquistarem o torneio. "Parece ser uma obsessão do Chelsea vencer a Liga dos Campeões. É por isto que eles contrataram o Fernando Torres", comentou o treinador. "Ter uma obsessão por uma competição é forçar um pouco demais. Ganhar uma competição destas é algo muito complicado, mas eu entendo, pois eu já tive esta obsessão", analisou.

Apesar do desespero, que pode ser ruim para a equipe, Alex Ferguson garantiu que não será possível o Chelsea ter mais vontade de vencer do que sua equipe. "O Chelsea não terá mais fome pela vitória do que o Manchester United, acredite em mim", prometeu o treinador. "É uma partida de tudo ou nada para nós. As pessoas falam sobre a nossa vontade de vencer o Campeonato Inglês, mas também estamos desesperados para vencer este jogo", complementou.

Para a partida, o United também deve sofrer algumas alterações, como já é de costume de Ferguson. O lateral direito Rafael, que se machucou na primeira partida, é dúvida e O'Shea pode ficar com a posição. Nani deve ser titular da equipe. Para a entrada do português, dois jogadores podem perder vaga: Chicharito Hernández, no ataque, que deixaria Rooney - decisivo na primeira partida - mais isolado, ou Park Ji-Sung, que manteria a dupla ofensiva e deixaria Giggs jogando de maneira mais centralizada, com Valencia e Nani abertos.

Chelsea e Manchester United, além de Barcelona e Shakhtar, que fazem o outro duelo das quartas, treinaram na tarde de segunda-feira. Veja fotos

FICHA TÉCNICA
MANCHESTER UNITED x CHELSEA

Local: Estádio Old Trafford, em Manchester, Inglaterra
Data: 12 de abril de 2011, terça-feira
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Olegário Benquerença (Portugal)
Assistentes: Bertino Miranda e João Santos (ambos de Portugal)
Árbitros Assistentes: Artur Soares Dias e Carlos Xistra (ambos de Portugal)

MANCHESTER UNITED: Van der Sar; Rafael (O'Shea), Ferdinand, Vidic e Evra; Carrick, Giggs, Nani e Valencia; Rooney e Chicharito Hernández (Park Ji-Sung)
Técnico: Alex Ferguson

CHELSEA: Cech; Bosingwa, Terry, Ivanovic e Ashley Cole; Essien, Ramires e Lampard; Malouda, Anelka (Fernando Torres) e Drogba
Técnico: Carlo Ancelotti

Leia tudo sobre: manchester unitedchelseafutebol mundialinglaterra

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG