Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em casa, Cerro vence Jaguares e enfrenta o Santos na semifinal

Time paraguaio contou com gol de Pedro Benítez para se classificar e reencontrar o time brasileiro na Copa Libertadores de 2011

Gazeta Espotiva |

AFP
Cerro Porteño venceu e se classificou na Libertadores
O Cerro Porteño jogou com o regulamento da Libertadores e aproveitou-se de uma falha goleiro do Jaguares para se garantir nas semifinais. Em Assunção, o time paraguaio aproveitou-se do gol feito como visitante no empate por 1 a 1 na ida, atuou defensivamente e venceu por 1 a 0, resultado suficiente para reencontrar o Santos na luta por uma vaga na final.

O Santos já enfrentou o Cerro Porteño duas vezes nesta edição da competição continental. Ambos caíram no mesmo grupo e os brasileiros terminaram invictos diante dos rivais, já que houve empate por 1 a 1 na Vila Belmiro e vitória brasileira por 2 a 1 como visitante. O Cerro, porém, foi líder da chave nos critérios de desempate e, por isso, fará a segunda semifinal em casa.

Classificação que foi possível com uma ajuda de Villaseñor. O goleiro do time mexicano saiu mal depois de bola levantada na área e socou a bola na cabeça de Pedro Benítez, que só percebeu seu feito, sem querer, ao ver a bola entrar nas redes aos 25 minutos do segundo tempo. Depois, bastou aos anfitriões continuarem na defesa para ficar com a vaga.

O jogo
Ciente de que o 0 a 0 classificaria o Cerro Porteño, o Jaguares entrou em campo visivelmente disposto a ditar rapidamente o ritmo da partida. Nem precisou se esforçar para ficar com a bola e evitar uma pressão adversária. Os anfitriões mostraram desde o apito inicial que não se arriscariam.

O problema para os mexicanos é que a convicção dos donos da casa em seguir o regulamento era tanta que se transformou dentro de campo em uma obediência tática irrepreensível. Bem distribuído, o Cerro não se envergonhava de olhar o rival trocar passes em um Defensores Del Chaco lotado, mas não o permitia dar trabalho ao goleiro Barreto. Iturbe, meia-atacante mais conhecido do Cerro, nem saiu do banco.

Os visitantes tentaram entrar na área paraguaia de todas as formas: lançamentos longos, tabelas, cruzamentos. Mas não levava perigo nem mesmo em arremates de fora da área. Los Felinos, como é conhecido o time, caiam até na catimba dos paraguaios, enervando-se com a sequência de faltas no círculo central.

O Jaguares foi para o intervalo tentando achar criatividade para ser eficiente com a bola nos pés. E se surpreendeu com um Cerro Porteño que decidiu jogar no segundo tempo. Os paraguaios avançaram suas linhas de marcação, deixaram os mexicanos ainda mais longe de seu gol e passaram a reter a bola, trocando passes por mais tempo na intermediária adversária.

O equilíbrio conquistado em campo valeu o gol da classificação. Aos 25 minutos do segundo tempo, depois de um escanteio cobrado da esquerda, Villaseñor saiu de sua meta de maneira confusa e tentou afastar a bola com um soco. O problema é que ela nem saiu de sua área porque bateu na cabeça de Benítez e balançou as redes.

No desespero, o Jaguares ainda carimbou o travessão em finalização de Miguel Martínez dois minutos após sofrer o gol. Mas não teve nem força psicológica para pressionar. Mesmo com o astro Iturbe no banco, a torcida do Cerro já gritava "olé" com a maior posse de bola e pôde vibrar com a expulsão do zagueiro Fuentes, da equipe mexicana. A vaga na semifinal já estava nas mãos do time mais inteligente em campo.
 
FICHA TÉCNICA - CERRO PORTEÑO-PAR 1 X 0 JAGUARES-MEX

Local: estádio General Pablo Rojas, em Assunção (Paraguai)
Data: 19 de maio de 2011, quinta-feira
Horário: 22h30 (de Brasília)
Árbitro: Darío Ubríaco (Uruguai)
Assistentes: Mauricio Espinosa e William Casavieja (ambos do Uruguai) Cartões amarelos: Uglessich e Nanni (Cerro Porteño); Miguel Martínez e Christian Valdez (Jaguares)
Cartão vermelho: Ismael Fuentes (Jaguares)

GOL: CERRO PORTEÑO: Pedro Benítez, aos 25 minutos do segundo tempo

CERRO PORTEÑO: Barreto; Iván Piris, Pedro Benítez, Uglessich e César Benítez; Luis Cáceres, Javier Villarreal (Jorge Nuñez), Iván Torres e Jonathan Fabbro; Lucero (Julio dos Santos) e Nanni (Bareiro). Técnico: Leonardo Astrada

JAGUARES
: Villaseñor; Miguel Martínez, Ismael Fuentes, Christian Valdez e Razo; Andrade (Zamora), Jorge Rodríguez, Esqueda e Jorge Hernández (Guillermo Rojas); Antonio Pedroza (Salazar) e Jackson Martínez. Técnico: José Guadalupe Cruz

Leia tudo sobre: Copa libertadores 2011cerro porteñojaguaressantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG