Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em carta, Perrella culpa arbitragem e explica viagem com a seleção

Presidente do Cruzeiro divulgou uma carta para a torcida do time e insistiu nas reclamações contra a arbitragem

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860326555&_c_=MiGComponente_C

Em carta destinada à torcida cruzeirense, o presidente do clube, Zezé Perrella, continuou com suas reclamações contra a arbitragem do Campeonato Brasileiro, não só na derrota para o Corinthians, no último sábado, mas em outras cinco partidas. Sobre a equipe de Parque São Jorge, o mandatário lembrou de possíveis erros na campanha que sagrou o time campeão no Campeonato Brasileiro de 2005 e na Copa do Brasil de 2009.

Por fim, Perrella ainda disse que vai continuar batalhando na Confederação Brasileira de Arbitragem (CBF), mostrando inclusive um vídeo com tais equívocos de arbitragem, e justificou a sua decisão de acompanhar a seleção como chefe da delegação na partida diante da Argentina, nesta quarta-feira, em Doha.

Confira abaixo a íntegra da carta:

Os erros da arbitragem em jogos decisivos do Cruzeiro nesse Campeonato Brasileiro podem nos custar o título de 2010. Já são seis partidas em que nosso time foi escandalosamente prejudicado em lances capitais. Não dá para aceitar as falhas dos árbitros nos confrontos contra Santos, Botafogo, Grêmio, São Paulo e Corinthians, sempre contra o mesmo clube. Impedimentos absurdos, inversão de faltas, acréscimo exagerado de tempo e a marcação de quatro pênaltis vergonhosos que levam a uma suspeita muito forte de favorecimento. Diante de Botafogo e São Paulo as faltas cometidas fora da área foram "enxergadas" por Herber Roberto Lopes e Nielson Nogueira Dias do outro lado da linha. E o que dizer dos dois pênaltis polêmicos marcados pelo mesmo árbitro nos confrontos contra o Corinthians? Sandro Meira Ricci, aspirante FIFA, demonstrou seu total despreparo para se tornar um dos principais apitadores do país. Mas, pior do que errar nesses lances, foi ver que a sua arbitragem se tornou suspeita diante de vários outros absurdos acontecidos, principalmente, no jogo do Pacaembu. Os quatro impedimentos equivocados parando o ataque do Cruzeiro em situações que poderiam resultar em gol; a perseguição dos adversários ao meio campo Montillo sem nenhuma coibição e ainda uma pênalti não marcado sofrido pelo atacante Thiago Ribeiro, colocou sob suspeita a seriedade do trabalho desse juiz de futebol. Aliás, essa observação não é apenas dos cruzeirenses, mas também de toda a imprensa que estava presente ao estádio.

Quanto ao Corinthians, coincidência ou não, o clube já havia sido beneficiado pela arbitragem no ano passado na Copa do Brasil contra Vasco e Internacional, isso sem falar do Campeonato Brasileiro de 2005 e a imoral partida frente aos gaúchos com um pênalti escandaloso em Tinga não marcado para o Internacional. Para que ninguém tenha dúvida, o time paulista acabou campeão das duas competições.

Após a partida, ainda nos vestiários, fiz questão de mostrar a revolta do torcedor do Cruzeiro ao desabafar na entrevista coletiva. Minhas declarações expressaram o quanto se sente indignado cada um dos oito milhões de torcedores do Melhor Clube Brasileiro do Século XX. Tamanha insatisfação se deve, em boa parte, à atuação do responsável pela escala de árbitros. O senhor Sérgio Corrêa, questionado há anos por diversos outros clubes do país por comandar um quadro de árbitros reconhecidamente de baixa qualidade, não consegue passar uma única rodada sem sofrer um bombardeio de críticas por sua incompetência. Não tenho dúvidas ao afirmar que, se não fossem as lamentáveis arbitragens desse campeonato, o Cruzeiro seria campeão. Na semana passada, já preocupado com o que poderia acontecer em São Paulo, estivemos presentes à sede da CBF, no Rio de Janeiro, com os diretores de futebol Dimas Fonseca e de Comunicação Guilherme Mendes para mostrar ao senhor Sérgio Corrêa o nosso temor, mas nada parece sensibilizá-lo, apesar de sua garantia pessoal de que teríamos uma arbitragem decente.

Mas ninguém vai nos calar. Esta semana voltaremos à CBF para fazer mais um protesto formal. O vice-presidente de futebol Gustavo Perrella, o diretor de futebol Dimas Fonseca e o gerente de futebol Valdir Barbosa levarão também um vídeo com todos os clamorosos erros de arbitragem que estão nos surrupiando o título.

Por último, quero ainda esclarecer os motivos que me levaram a seguir com a Seleção Brasileira para o amistoso no Qatar, contra a Argentina. Há cerca de um mês aceitei o convite do presidente Ricardo Teixeira para chefiar a delegação e, como sempre faço, honrei meu compromisso, ao contrário de outras pessoas que ocupam cargos importantes no futebol brasileiro sem nenhuma capacidade e moral.

José Perrella de Oliveira Costa

Presidente do Cruzeiro Esporte Clube

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG