Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Em 2010, Neymar vira astro do futebol e ganha fama de ¿bad boy¿

Além de conquistar dois títulos e chegar a seleção brasileira, atacante se envolveu em diversas confusões

Samir Carvalho, iG Santos |

AE
Dorival e Neymar se desentenderam, na queda de braço o Santos optou pelo atacante e ficou sem o treinador
O atacante Neymar jamais esquecerá o ano de 2010 em sua carreira. Após terminar a temporada passada como reserva de Vanderlei Luxemburgo, técnico do Santos em 2009, e receber do treinador o apelido de “filé de borboleta”, o camisa 11 deixou de ser uma promessa e virou o grande astro da equipe santista, conquistou dois títulos e chegou à seleção brasileira.

No entanto, além dos dribles e gols, Neymar também chamou a atenção em 2010 por causa das polêmicas, e ganhou a fama de “bad boy”, termo usado no futebol para atletas que se envolvem em confusões. A principal delas aconteceu com o técnico Dorival Júnior. O atacante santista xingou o treinador após ter sido proibido de cobrar um pênalti nos minutos finais do jogo contra o Atlético-GO, válido pelo Campeonato Brasileiro.

A atitude provocou ao jogador uma multa salarial, o afastamento de uma partida do Santos no Brasileiro (contra o Guarani), um pedido de desculpas em entrevista coletiva, além de ser punido por Mano Menezes, que deixou o jogador de fora da lista de convocados para disputar dois amistosos da seleção brasileira.

A principal polêmica de Neymar em 2010 ainda causou a demissão do técnico Dorival Júnior, que comandou o Santos nas conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. O treinador vetou Neymar para o clássico contra o Corinthians, e a diretoria santista demitiu Dorival Júnior alegando quebra de hierarquia.

Confira outras polêmicas envolvendo Neymar em 2010

Chapéu em Chicão e Marcinho Guerreiro
A primeira polêmica do atacante no Campeonato Paulista. Neymar aplicou um chapéu no zagueiro Chicão, do Corinthians, com o jogo parado. Apesar de receber muitas críticas na época, o atacante voltou a repetir o lance contra o volante Marcinho Guerreiro, do Avaí, pelo Campeonato Brasileiro.

Polêmica religiosa
O atacante se recusou a visitar um lar espírita durante a Páscoa alegando motivos religiosos. Juntamente com vários jogadores do elenco, Neymar se recusou a descer do ônibus. Depois de receber muitas críticas, o atacante fez a visitação, liderada pelo volante Roberto Brum.

Chegou atrasado à concentração
Juntamente com Madson, Paulo Henrique Ganso e André, o camisa 11 chegou atrasado a concentração santista. Os atletas chegaram às 3h da manhã, e foram afastados do jogo contra o Atlético-GO, no Serra Dourada.

Pênaltis
Os pênaltis fizeram parte das polêmicas de Neymar. O jogador irritou os goleiros ao utilizar a “paradinha”, entre eles Rogério Ceni, que criticou o atacante após sofrer o gol na cobrança de pênalti. Se não bastasse, Neymar irritou a torcida santista ao desperdiçar um pênalti contra o Vitoria, na final da Copa do Brasil. Na ocasião, o jogador usou a “cavadinha” e chutou a bola nas mãos do goleiro.

Deboche e mais confusões em campo
Neymar ainda foi acusado de deboche pelo técnico Antônio Lopes. O treinador acusou o atacante de ter feito referencias ao seu salário milionário. O camisa 11 recebeu as mesmas acusações dos jogadores do Ceará. Na ocasião, o atleta discutiu com o volante João Marcos, e a partida terminou com uma confusão generalizada, e Marquinhos foi agredido por um policial.

Homem do ano
Em tradicional votação promovida pela revista "VIP", Neymar foi eleito "homem do ano". O astro de apenas 18 anos posou para fotos de terno, algo que, segundo ele, jamais tinha vestido.

Leia tudo sobre: santosneymardorival júnior

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG