Inspirado no "Monstro", zagueiro de 19 anos não vê a hora de estrear e quer marcar um gol de cabeça

Novo xodó do técnico Abel Braga , Elivélton não escondeu o nervosismo e a timidez durante sua primeira entrevista coletiva, terça-feira, nas Laranjeiras. Veloz e firme diante dos atacantes dentro de campo, o zagueiro do Fluminense foi econômico e bem mais lento com as palavras. Desacostumado com o assédio da imprensa, ele disse que não vê a hora de ganhar uma chance no time titular e admite que achou, por alguns instantes, de que sua oportunidade havia chegado contra o Avaí .

“Fico mais tranquilo e solto de mostrar meu trabalho com toda essa confiança depositada pelo Abel. Quando o Márcio Rosári o sofreu uma pancada contra o Avaí e o treinador me chamou na beira do campo, eu tive a certeza de que entraria. Infelizmente ainda não foi desta vez, mas estava na expectativa de entrar e fazer um bom jogo”, lembrou Elivélton.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Nascido em Bom Jardim, no interior do Rio de Janeiro, Elivélton ganhou sua primeira oportunidade entre os profissionais através de Enderson Moreira durante o período de treinamentos na Granja Comary, em Teresópolis, antes da estreia no Brasileirão. Aos 19 anos, ele sequer estreou, mas já faz planos ambiciosos para o futuro.

“Me espelho no Thiago Silva. Se fizer um terço do que ele fez, já estou satisfeito. Acho que sou veloz como ele. Tenho boa velocidade e busco aprimorar a parte técnica. Quem sabe eu não formo dupla de zaga com ele aqui no Fluminense quando ele voltar para encerrar sua carreira? (risos)”, sonha o zagueiro.

A confiança de Abel Braga no futebol de Elivélton é tão grande, que na semana passada a diretoria do Fluminense descartou uma proposta do Hamburgo, da Alemanha, por Alex Silva, ex-São Paulo, por 3 milhões de euros, aproximadamente R$ 6,8 milhões.

“Entre para a Torcida Virtual do Fluminense e convide seus amigos”

Um dos caçulas do elenco, Elivélton foi adotado pelos companheiros. Apesar da relação amistosa, por enquanto, ele aponta o colombiano Valencia como seu principal conselheiro e diz que deseja marcar um gol para dedicar a duas pessoas muito especiais.

“Todos me dão conselhos, mas o Valencia é com quem mais brinco e tenho mais liberdade. Meu sonho é marcar um gol de cabeça, é claro, e dedicar a meus pais, que sempre me apoiaram”, disse o jogador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.