Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Elenco do Inter se prepara para enfrentar a temida bola do Mundial

Atletas do time gaúcho participaram de evento que apresentou a bola que será usada em Abu Dhabi. Goleiro Renan disse que ela é de difícil adaptação, mas Rafael Sóbis aprovou

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882124669&_c_=MiGComponente_C

Vilã para os goleiros, amiga dos atacantes. Foi assim na Copa do Mundo; e no Mundial de clubes a história promete se repetir. Quem não ouviu falar da Jabulani durante o torneio de seleções na África do Sul? A bola que mudava de trajeto no ar e complicava a vida dos melhores goleiros do mundo. Agora em Abu Dhabi a bola tem outro nome: Speedcell, mas mantém as mesmas características: Muita velocidade, e oscilação durante o trajeto.

É uma bola rápida, traz muita dificuldade para os goleiros. Tivemos cerca de um mês para trabalhar com ela, espero que seja o tempo suficiente para me adaptar, diz o goleiro Renan.

Bola preocupa Guiñazu. Veja o vídeo

Robert Green, goleiro da seleção inglesa, foi vítima da Jabulani na Copa 2010. Ele levou um memorável frango no jogo de estreia da Inglaterra contra os Estados Unidos e acabou perdendo a posição de titular. Seus companheiros culparam a variação de trajetória da bola pela falha. Desde então, os atacantes perceberam que o chute de longe se tornava uma grande arma.

O chute sempre foi minha melhor característica. Talvez nessa rapidez eu pegue o goleiro desprevenido. A bola do Mundial favorece o meu chute. Já tive experiência com ela nos Emirados", explica o atento Rafael Sóbis.

A empresa fornecedora da Speedcell afirma que a bola proporciona excepcional estabilidade no ar e perfeito contato entre a chuteira e a bola. Ela é composta por oito painéis 3-D moldados esfericamente, é o modelo mais preciso e consistente que a empresa já produziu.

Durante todo o Campeonato Brasileiro o Internacional fez 7 gols de longa distância. Foram 6 gols de fora da área e 1 gol de falta, segundo dados do Footstats . Porém, 2 gols de longa distância foram de Taison e 1 de Walter, dois atacantes que foram vendidos e não estão mais no Beira-Rio. Andrezinho, D´Alessandro e Giuliano marcaram os outros 3 chutes de longa distância. Andrezinho fez o único gol de falta no Brasileirão, na vitória do Inter contra o Corinthians no mês de setembro.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG