Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Eleição da Rússia para sede da Copa foi a mais fácil

Votação que decretou o Catar como país anfitrião do Mundial de 2022 foi mais apertada

iG São Paulo |

A Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) revelou detalhes da eleição das sedes para as próximas Copas do Mundo. Os 22 membros do Comitê Executivo precisaram votar quatro vezes para decidir qual seria a sede da Copa de 2022 - o Catar venceu a disputa final contra os Estados Unidos. Já a vitória da Rússia foi decretada com mais facilidade.

O que mais surpreendeu foi a votação obtida pela Inglaterra no primeiro turno da eleição para a Copa de 2018. O país, que chegou a ser cogitado entre os favoritos para a vitória em casas de apostas, recebeu apenas dois votos e foi eliminado imediatamente. Como a Rússia não conseguiu mais do que 50% dos votos nesse primeiro momento, foi necessária a realização de um segundo turno, no qual foi decidida a sede da Copa de 2018, com treze votos.

Já a escolha da sede para a Copa de 2022 foi mais apertada e precisou de quatro turnos para ser decidida. Austrália, Japão e Coreia do Sul, nessa ordem, foram as candidaturas eliminadas. Por fim, Catar e Estados Unidos se enfrentaram e a vitória para o time do Oriente Médio foi decidida por um placar de 14 votos a 8.

Veja, turno por turno, como foi a votação do Comitê Executivo da Fifa:

Copa do Mundo de 2018

1º turno: Inglaterra - 2 votos; Holanda/Bélgica - 4 votos; Espanha/Portugal - 7 votos e  Rússia 9 votos

2º turno: Holanda/Bélgica - 2 votos, Espanha/Portugal - 7 votos e Rússia - 13 votos

Copa do Mundo de 2022

1º turno: Austrália - 1 voto; Japão - 3 votos; Coreia do Sul - 4 votos; Catar - 11 votos, Estados Unidos - 3 votos

2º turno: Japão - 2 votos; Coreia do Sul - 5 votes; Catar - 10 votos e Estados Unidos - 5 votos

3º turno: Coreia do Sul - 5 votos,  Catar - 11 votos e Estados Unidos - 6 votos

4º turno: Catar - 14 votos e Estados Unidos - 8 votos

Leia tudo sobre: catarcopa do mundofutebol internacionalrússia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG