Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Ele esperou, agora é minha vez", diz Denis, sucessor de Ceni

Goleiro do São Paulo falou com exclusividade ao iG sobre sua convivência com o ídolo e revelou propostas para deixar o clube

Mário André Monteiro, iG São Paulo |

AE
Denis está sendo preparado para ser o sucessor de Rogério Ceni
Na última quarta-feira, Rogério Ceni completou mil jogos com a camisa do São Paulo . Mas, para isso, o camisa 1 tricolor teve que aguardar pela sua chance na meta da equipe, o que demorou sete anos para acontecer. Ele chegou ao clube do Morumbi em 1990 e só virou titular absoluto em 1997, quando Zetti foi para o Santos. Atualmente, Denis está sendo preparado para substituir o ídolo em breve e segue o mesmo caminho do capitão são-paulino.

Siga o iG São Paulo no Twitter

Aos 24 anos de idade, o segundo goleiro do São Paulo chegou em 2009 e fez 21 partidas pela equipe, sendo 20 delas no seu primeiro ano de clube, quando Rogério fraturou o tornozelo, e uma neste ano de 2011, na estreia do Brasileirão contra o Fluminense, substituindo Ceni no segundo tempo. Em 2010, Denis não entrou em campo. Em entrevista exclusiva a iG, o arqueiro disse que não se incomoda pelo fato de quase nunca jogar, mas admitiu que espera pela sua chance.

Entre para a Torcida Virtual do São Paulo e convide seus amigos

O contrato de Rogério com o clube vai até o fim de 2012, mas ele já admite renovar por mais uma temporada, dependendo de como o time estará até lá. Depois do seu milésimo jogo, Ceni falou sobre Denis e usou seu próprio exemplo para motivar o reserva.

"Eu também vivi esse momento por 205 vezes, esperando minha oportunidade. O Denis é um ótimo goleiro, de muito talento. Espero que daqui 20 anos, quero voltar aqui para a festa de 1000 jogos dele. Tudo indica que daqui a pouco ele inicia a carreira de titular do São Paulo", comentou Rogério.

No bate-papo, Denis falou também sobre seu relacionamento com o ídolo, disse que se espelha em Rogério Ceni e quer, por que não, fazer gols de falta, já que treina sempre que pode no CT da Barra Funda. Ele contou também que ouve muitas piadas pelo fato de ganhar seu salário e não jogar. "Tem gente que fala que eu ganho para desfilar, que eu ganho para ficar no banco. Mas ninguém vê o meu dia a dia", contou o arqueiro que, recentemente, participou como modelo do lançamento de uma nova linha de roupas do São Paulo.

Leia abaixo a íntegra da conversa de Denis com o iG :

iG: Você já se considera preparado para substituir Rogério Ceni no gol do São Paulo em breve?
Denis: Eu sei que quando o São Paulo precisar, dependendo da circunstância, se o Rogério levar o terceiro amarelo ou se machucar, tenho que estar pronto a qualquer momento. Ninguém fala uma data para eu jogar. Mas espero que nada aconteça. Tenho que ter a cabeça no lugar e estar preparado sempre. A gente treina a cada dia para quando precisar eu fazer o meu melhor.

iG: O fato de Rogério jogar sempre e você só ficar na reserva te incomoda?
Denis: Ele não sai, né? É um cara que eu admiro muito como profissional e como pessoa. Ele sempre quer entrar em campo e vencer. Por isso que bateu todos esses recordes. E ele não está errado. Se um dia eu começar a jogar aqui também, pode ter certeza que vou ser do mesmo jeito. Vou querer entrar em campo todo jogo, não vou querer ser poupado. Ele esperou muito tempo, agora é minha vez. Estou esperando também, sei como isso é difícil. Quando eu tiver uma oportunidade, vou querer jogar tudo também. Entendo a parte dele.

AE
Denis está sendo preparado para ser o sucessor de Rogério Ceni
iG: Nesses três anos de São Paulo, você chegou a pensar em sair para outro clube?
Denis: Tive propostas para jogar fora. Quando o São Paulo me contratou, eu tinha propostas de outros clubes, mas preferi aqui porque a estrutura daqui é difícil de encontrar em outro lugar ou até em outro país. Preferi ficar aqui perto da minha família, da minha cidade, sou de Brotas, interior de São Paulo. Sentei com meu empresário, disse que queria ficar aqui e estou muito feliz.

iG: Antes do São Paulo você só jogou na Ponte Preta mesmo?
Denis: Comecei em janeiro de 2002 no infantil da Ponte Preta. Fiz minha base toda lá e subi para o profissional do time em 2005, com 17 anos. Nesse ano era o quarto goleiro, em 2006 fui o terceiro goleiro, em 2007 joguei o ano todo como titular. Ai em 2008 voltei para a reserva como segundo goleiro e meu contrato terminou. Em janeiro de 2009 fui contratado pelo São Paulo.

iG: E essa história de que você gostava de armas quando defendia a Ponte?
Denis: Eu morava dentro do Moisés Lucarelli, não conhecia ninguém. Não tinha diversão e ai o que eu fiz? Comprei uma arminha de chumbo e ficava no campo brincando, sozinho. Jogava no juvenil no sábado de manhã, ai ficava a tarde de sábado e no domingo sem treino e sem sair. Achava Campinas perigoso, tinha medo de sair sozinho, é uma cidade grande. E era minha diversão, ficava brincando. Não sou fissurado por isso, era só um passatempo que eu tinha.

iG: Em três anos de São Paulo, você só jogou 21 vezes. As pessoas te reconhecem na rua?
Denis: Reconhecem sim, até porque tive uma grande sorte quando cheguei. Eu joguei bastante no começo. Não do jeito que eu queria, porque foi por conta da fratura do Rogério e do Bosco, que torceu o joelho. Eu fui o goleiro que mais substituiu o Rogério por temporada e em sequência de jogos. Eu fiz 11 jogos consecutivos, nunca nenhum goleiro fez isso com o Rogério aqui. Em 2009 foi muito bom porque cheguei, me apresentei e joguei.

AE
Denis está sendo preparado para ser o sucessor de Rogério Ceni
iG: O que aprendeu com o Ceni?
Denis: Aprendi a ser muito dedicado. Aqui ainda mais com ele. E é treino todo dia. Ele não precisa falar nada para eu aprender. É só prestar atenção nos movimentos que ele faz.

iG: Como é sua convivênca no dia a dia com Rogério?
Denis: Fora do CT a gente nunca se encontrou. Mas tem o ambiente de trabalho, concentração. No aeroporto a gente troca ideia, no hotel. A gente conversa sobre tudo. O Rogério é um espelho, mas não chego a desabafar muito com ele porque ele é um cara reservado e eu também sou. Fico mais na minha. Mas com certeza eu sei que ele vai me ajudar no que eu precisar.

iG: Quando assumir a condição de titular, pretende bater faltas?
Denis: Eu tenho a noção e a consciência de que eu tenho que fazer meu papel primeiro debaixo do gol . Tenho que defender, não posso tomar gol, tenho que fazer meu melhor no gol. Estou treinando falta, quando eu consigo eu treino, um pouco de pênalti também, mas não estou focado só nisso. Não penso em começar a jogar e já fazer gol de falta. Meu pensamento é primeiramente ajudar o São Paulo a não sofrer gols e fazer meu papel de goleiro.

iG: Qual foi o jogo mais marcante que fez pelo São Paulo?
Denis: Não teve um jogo que me marcou. Cheguei no clube numa quinta-feira e já joguei no domingo, contra a Portuguesa. Tinha só três dias de clube. Esse jogo fica na memória, assim como meu primeiro jogo como titular, contra o Palmeiras, no Palestra Itália. Teve também meu primeiro jogo como titular pela Libertadores, contra o Cruzeiro, no Mineirão, esse me marcou também. Foram muitos marcantes nesses 21 jogos.

iG: Você ouve muita piada pelo fato de ganhar seu salário e não jogar?
Denis: Tudo que você pensar eu já escutei. Tem gente que fala que eu ganho para desfilar, que eu ganho para ficar no banco. Mas ninguém vê o meu dia a dia. Se acompanharem meu treinamento, tenho certeza que todos que falam e que fazem essas piadas, se conhecessem meu trabalho, mudariam seu conceito rapidinho.

AE
Denis está sendo preparado para ser o sucessor de Rogério Ceni

Leia tudo sobre: São PauloBrasileirão 2011Rogério CeniDenis

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG