Tamanho do texto

Volante deixa polêmica sobre ex-técnico do Flu de lado e mostra preocupação apenas com o time paulista

Apesar de a partida contra o Santos ter sido marcada para Volta Redonda, a recepção da torcida do Fluminense para o técnico Muricy Ramalho não deverá ser das mais calorosas. Afinal, desde que o treinador pediu demissão e deixou às Laranjeiras , no dia 13 de março, esse será o primeiro encontro entre os torcedores tricolores e o comandante do título brasileiro do ano passado no estado do Rio de Janeiro.

Entre para a Torcida Virtual do Fluminense e convide seus amigos

Alheio à reação e ao comportamento do torcedor do Fluminense, Edinho afirma que o jogo do próximo sábado, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, às 18h, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, não terá nada de especial por conta da presença de Muricy Ramalho no banco de reservas do adversário.

“Não é revanche. É um jogo que precisamos vencer para continuarmos sonhando na frente. Temos que entrar em campo com esse objetivo como se fosse qualquer outra equipe. É uma partida decisiva como todas daqui para frente”, disse Edinho, acabando com qualquer tipo de polêmica entre o treinador do Santos e os jogadores do Fluminense.

Veja também : acompanhe os gols da vitória do Santos sobre o Fluminense no primeiro turno

A maior prova de que as palavras do volante tricolor não foram da boca para fora aconteceu antes de a bola rolar no encontro das duas equipes pelo primeiro turno. Ao entrar no gramado da Vila Belmiro, os jogadores do Fluminense se perfilaram em frente ao banco de reservas do Santos e cumprimentaram um a um o ex-treinador.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba notícias do time em tempo real

Indiferente aos problemas que levaram o atual treinador do Santos a deixar o Fluminense, Edinho disse que sua única preocupação no sábado é com o time do Santos.

“É um jogo complicado. Temos de entrar ligados na parte defensiva e procurar marcar os gols no ataque. O Santos é um time veloz e muito perigoso nos contra-ataques. Não podemos dar espaço”, alertou o camisa 5 tricolor, que ainda acredita no título brasileiro.

“Sabemos que é difícil, mas se conseguirmos sete vitórias nos 12 jogos que ainda nos resta, é possível sonhar com o título”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.