Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dunga assume cadeira no "conselhão" no Rio Grande do Sul

Ex-treinador da seleção é um dos 90 integrantes do Conselho Econômico e Social do Governo do Estado

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

Recluso e com raras aparições públicas depois da Copa do Mundo da África do Sul, Dunga, ex-técnico da seleção brasileira, mostrou nesta terça-feira seu lado político. Ele será um dos 90 integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Governo do Rio Grande do Sul, onde pretende contribuir com sua experiência à frente de projetos sociais. “Sempre fui um cidadão”, disse o treinador.

Dunga esteve presente na solenidade da instalação do “conselhão” de Tarso Genro nesta terça-feira, em Porto Alegre. Em rápida entrevista à imprensa durante a reunião, ele disse que tentará contribuir com sua experiência no futebol e nos projetos sociais que desenvolve em Porto Alegre. O cargo não é remunerado.

“Não é nenhuma surpresa para mim. Sempre fui um cidadão, tenho projetos sociais de inclusão e este vai ser um dos meus pontos fortes aqui”, afirmou Dunga. “Muitas pessoas falam de dentro de uma sala com ar condicionado. Agora, viver o dia a dia e o problema das pessoas, modifica tudo”, completou, defendendo sua experiência na área social.

Recluso desde que deixou o comando da seleção brasileira após a Copa do Mundo da África do Sul, Dunga deu poucas declarações à imprensa até hoje. Nesta terça, perguntado pela reportagem do iG, respondeu que esta sempre foi sua forma de atuação. “Antes de ser treinador da seleção, sempre fui discreto. Faço meus trabalhos e não preciso de divulgação. Logicamente, como treinador da seleção, tenho uma exposição muito grande. Mas sempre fui um cara de ficar mais na minha”, destacou.

Questionado se o retorno ao futebol estava próximo, Dunga disse que ainda vive um período de reciclagem e que ainda resta tempo para que possa voltar a trabalhar como treinador.

“Tem tempo ainda. Agora é um tempo de reciclar e fazer outras coisas que deixei de fazer. Cuidar de meus interesses pessoais e dos projetos filantrópicos que eu tinha. Agora é um momento mais tranqüilo", completou o ex-treinador da seleção. Além de Dunga, outra esportista que entrega o “conselhão’ do governo gaúcho é a ginasta Daiane dos Santos.

 

Leia tudo sobre: Dungaseleção brasileirafutebol Mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG