Tamanho do texto

Time do artilheiro veterano bateu o Grêmio Barueri e se manteve com os mesmos pontos da Lusa

A torcida que compareceu em bom número ao Estádio Décio Vitta, em Americana, esperava que o frio de 8 graus não impedisse equipe local de conquistar sua quarta vitória seguida no Campeonato Brasileiro da Série B. Apesar do começo de jogo decepcionante, a marca do artilheiro fez a diferença e, com gol de Dodô, aos 30 do segundo tempo, o Americana venceu por 1 a 0 o Grêmio Barueri .

Enquanto o anfitrião continua na cola da líder Portuguesa , com os mesmos 17 pontos, mas no segundo lugar da competição, os visitantes veem sua situação ficando complicada na tabela, com o risco de entrarem na zona de rebaixamento ao final da oitava rodada e com o técnico Sérgio Soares ameaçado no cargo.

O Jogo
No início do primeiro tempo, estava muito estudado entre as equipes, o que se refletiu no fato de nenhuma delas colocar a bola no chão e partir para cima do adversário. O equilíbrio foi tanto que os dois destaques do primeiro tempo foram os goleiros: Juninho e Jaílson.

Logo aos cinco minutos, Marcinho fez boa jogada, arriscando de fora da área. O goleiro Juninho teve reflexo e espalmou para o lado. Dez minutos mais tarde, foi a vez do Grêmio-SP colocar Jaílson para trabalhar. Saldanha cobrou uma falta pela esquerda e a bola passou por todo mundo na área do Americana, menos Daniel Marques que cabeceoou e obrigou Jaílson a operar um milagre.

O Americana começou mais insinuante do que Grêmio-SP, com velocidade e bom posicionamento, mas não encontrou facilidade em nenhum momento da partida, pois a formação tática de 3-5-2 do Grêmio-SP, além de dificultar a troca de passes do adversário, ainda conseguiu acuá-lo em determinados momentos.

O jogador mais perigoso do time da grande São Paulo na primeira etapa foi o atacante Marcelinho, que descia com habilidade, sempre pelo lado direito e batia para o gol de qualquer lugar, sempre surpreendendo Jaílson.

O 0 a 0 indicado no placar ao final do primeiro tempo mostrou o que foi a partida, em que os dois times fluatuavam no meio-de-campo, mas pecavam no último passe e na finalização. O técnico Toninho Cecílio foi para o vestiário batendo o pé e com as sobrancelhas franzidas, em sinal de reprovação à atuação de sua equipe na primeira etapa.

Mal sabia Cecílio que, na segunda etapa, sua dor de cabeça aumentaria ainda mais. Isso porque, logo aos quatro minutos, um gol legítimo do Grêmio-SP não foi assinalado pela arbitragem. Alex Maranhão invadiu a área pela direita, chutou rasteiro e Junior Guerreiro finalizou de carrinho. O goleiro Jaílson deu um chutão, tirando a bola de dentro do gol, mas o árbitro e o assistente mandaram o jogo seguir.

Depois do susto, o Americana resolveu acordar. Reinaldo entrou no lugar do sonolento Andre Luiz e deu outra dinâmica ao time. Foi ele quem sufocou o zagueiro do Grêmio-SP até tomar a bola e foi afunilando a jogada até perceber a liberdade de Dodô, que recebeu a bola e bateu na saída do goleiro Juninho.

Na base do desespero, o Grêmio-SP partiu com tudo para cima do Americana. A equipe, que precisava da vitória para melhorar um pouco a situação na Série B e garantir o emprego do técnico Sérgio Soares, atacou o adversário nos últimos instantes do jogo, o que não surtiu efeito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.