Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Do Flamengo para Ucrânia, brasileiro pode substituir o ídolo Shevchenko

Maicon Oliveira está no futebol do leste europeu desde 2009 e falou com exclusividade ao iG sobre sua trajetória

Mário André Monteiro, iG São Paulo |

Arquivo pessoal
Maicon Oliveira, atacante do Volyn
Nos últimos anos, o futebol ucraniano se transformou em um dos principais destinos de jogadores brasileiros na Europa. Alguns nomes são bastante conhecidos, como Taison e Luiz Adriano, ambos ex- Inter , Ilsinho e Marlos , ex- São Paulo , Cleiton Xavier, ex- Palmeiras , Betão, Dentinho e Willian, ex- Corinthians , entre outros. Porém, um atacante desconhecido por aqui é quem tem roubado a cena no país do leste europeu.

Já ouviu falar em Maicon Oliveira? O atacante de 23 anos, dispensado pelo Flamengo no início da sua carreira, foi tentar a sorte na Ucrânia e hoje é o vice-artilheiro do campeonato nacional com 11 gols, mesmo atuando no pequeno Volyn Lutsk, atual 12º colocado. Ele está a apenas um gol atrás de Yarmolenko, do Dínamo de Kiev - o detalhe é que o brasileiro jogou 17 partidas, enquanto o primeiro colocado já atuou em 21 jogos.

Leia mais sobre futebol internacional

Mesmo sem a badalação dos compatriotas, Maicon já é visto como um dos grandes jogadores brasileiros no país. Tanto que seu nome já é especulado para substituir ninguém menos que o ídolo Andriy Shevchenko no Dínamo de Kiev. O artilheiro ucraniano vai se aposentar após a disputa da Eurocopa de 2012 e o clube já pensa em quem vai ocupar sua vaga no ataque.

"O cara fez gol por onde passou, Milan , Chelsea e até hoje vem fazendo. E a torcida vai cobrar, né? Tem que estar bem preparado para isso, psicologicamente, fisicamente, para poder tentar fazer o que ele fez. Imaginando se isso acontecer", disse Maicon em entrevista exclusiva ao iG.

Divulgação
Maicon está na Ucrânia desde 2009
LEIA TAMBÉM:  Zagueiro brasileiro comanda a melhor defesa do futebol europeu

"Rolou essa especulação aqui na Ucrânia, saíram matérias sobre isso, mas não chegou nada oficial para mim, nada além disso. Meu empresário está estudando algumas coisas, mas eu fico aqui no Volyn até o fim do contrato, que vai até o fim de agosto desse ano", completou o atacante brasileiro.

No Brasil, como profissional, só atuou na segunda divisão do Campeonato Carioca, vestindo a camisa do Estácio de Sá. "Fui emprestado pelo Flamengo depois de ser campeão da Copa BH de Juniores. Consegui fazer alguns gols no Estácio. Depois fui emprestado para o Atlético de Alagoinhas, da Bahia, mas nem cheguei a jogar. O treinador e os dirigentes não foram muito com a minha cara e não me colocaram para jogar", contou o jogador.

EXCLUSIVO: Alex Ferguson, técnico do Man Utd, fala ao iG sobre seu estilo implacável

Revelado nas categorias de base do Flamengo, Maicon não foi aproveitado na equipe principal e, no fim do seu vínculo com o rubro-negro, foi dispensado. "Acabou meu contrato com o Flamengo e não quiseram renovar. Aí eu fui seguir minha vida", disse o atacante, que chegou ao amadorismo para tentar ganhar a vida, antes de desembarcar na Ucrânia de vez. "Fiquei um tempo jogando futebol amador, joguei num time de um conhecido meu. Fui para São Paulo e conheci um agente Fifa que me trouxe para cá", disse.

Site oficial
Maicon em ação pelo Steaua Bucaresti, da Romênia

Maicon ainda passou quatro meses do futebol romeno, emprestado pelo Volyn ao Steaua Bucaresti. Lá, conseguiu conquistar o título da Copa da Romênia, em 2011, mas voltou à Ucrânia no fim da temporada.

Adaptação fácil
Um jogador que troca o Brasil pela Ucrânia tem que passar, principalmente, por duas barreiras: a da língua e a do frio. Maicon admite que não teve problemas para superar esses obstáculos e comemora o bom começo que teve no país, fato que o deixou reconhecido atualmente. 

"Eu estava bem fisicamente quando cheguei aqui. Era verão, estava quente, entre 25ºC e 28ºC mais ou menos, foi mais fácil de se adaptar. Tirando a língua, consegui me adaptar bem. A gente tinha um tradutor aqui que me ajudou bastante", disse o jogador.

E o começo foi bastante promissor, melhor do que o próprio Maicon esperava. Ele chegou ao Volyn em 2009 e logo nos primeiros dias de clube teve que entrar em campo e deixar sua marca. "Assinei o contrato na quarta-feira e no sábado seguinte já fui titular num jogo da Copa da Ucrânia. Fiz um gol de falta e sofri um pênalti no jogo que ganhamos de 2 a 1. E desde então a torcida tem gostado do meu futebol", contou.

E MAIS:  Atacante da Terceirona carioca derruba Messi e faz oito gols num jogo

Arquivo pessoal
Maicon e a esposa num restaurante na cidade de Lutsk
Além de Maicon, outros quatro brasileiros compõem o elenco ucraniano: o zagueiro Leandro, os meias Ramon e Goeber e o atacante Schumacher, todos pouco conhecidos no Brasil. E Maicon tem pouco contato com os brasileiros mais famosos na Ucrânia, como ele mesmo contou.

"Contato que eu tenho é mais nos jogos mesmo. No dia do jogo, no aquecimento, a gente conversa no campo mesmo, pergunta como estão as coisas e tal. Mas não tenho contato de mais nenhum, não tenho telefone, e-mail. Acabou o jogo cada um segue para sua cidade e é assim", finalizou Maicon.

O Volyn é um clube modesto na Ucrânia e voltou à primeira divisão em 2010, depois que Maicon chegou - ficou por quatro temporadas na segunda divisão. Atualmente é o 12º colocado do campeonato nacional, com 22 pontos. O Dínamo de Kiev, possível destino do atacante, lidera a competição com 58 pontos conquistados.

 

Leia tudo sobre: Futebol MundialUcrâniaVolyn LutskShakhtar DonetskFlamengo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG