Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dívidas colocam o tradicional Slavia Praga à beira da 3ª divisão tcheca

Situação econômica do clube vem piorando desde 2009, quando foi campeão nacional mas não avançou na Liga

EFE |

O Slavia Praga, um das equipes mais tradicionais da República Tcheca, corre o risco de perder a licença para disputar a primeira divisão do país e ser rebaixado para a terceira, devido às dificuldades financeiras que o clube atravessa.

"Iniciamos o processo para renovar a licença, mas a direção do clube admitiu que precisa que os acionistas forneçam 400 mil euros para saldar as dívidas do ano passado com os jogadores", declarou nesta segunda-feira à Agência Efe o porta voz do Slavia Praga, Ondrej Zlamal. O porta-voz reconheceu também que o último pagamento recebido pelos atletas foi o de dezembro de 2010, mas nem todos receberam. "A situação é grave, mas não se deve dramatizar", acrescentou Zlamal.

A situação econômica do clube, que revelou atletas conhecidos como Karel Poborsky, Vladimir Smicer e Pavel Kuka, vem piorando desde 2009, quando o Slavia foi campeão tcheco, mas não chegou a se classificar para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

"Reduzimos os custos em cerca de 75 %", afirmou o porta-voz, que acrescentou que uma das formas de economizar tem sido a aposta em jogadores muito jovens. "Agora, precisaremos de 2 milhões de euros para salvar este ano e a próxima temporada", detalhou Zlamal, que informou que, por enquanto, o clube ainda não recorreu à torcida para se reerguer financeiramente.

"Ainda não convocamos nenhuma coleta entre os torcedores, mas queremos que eles se envolvam com o andamento do clube, para que sejam donos de parte das ações. É apenas um plano, mas mostraram grande interesse", revelou.

Assim, ainda segundo o porta-voz, os torcedores poderiam passar a controlar entre um terço e um quarto das ações. Outro dos fatores que comprometeram as finanças do Slavia são os compromissos com o proprietário anterior, a empresa britânica Enic, à qual o clube deve 4,4 milhões de euros e cuja retirada do grupo de acionistas foi realizada por métodos de engenharia financeira pouco ortodoxos, de acordo com a imprensa local. 

Leia tudo sobre: FUTEBOL mundialrepublica TCHECAslavia pragacrise

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG