Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dirigentes do Palmeiras sofrem pressão na saída do Canindé

Arnaldo Tirone e Edvaldo Frasson ouviram gritos e xingamentos em defesa de Luiz Felipe Scolari

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

Além dos gritos de “time sem vergonha” cantados pela principal torcida organizada do Palmeiras, o pós jogo do Palmeiras teve protestos contra os dirigentes, que se encaminhavam para o vestiário e passaram perto de alguns torcedores que deixavam o Estádio do Canindé.

Cercado por pelo menos cinco seguranças, o presidente do clube paulista, Arnaldo Tirone, e um de seus vices presidentes, Edvaldo Frasson, ouviram todos os tipos de xingamentos e ameaças, ao lado também de outros conselheiros.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real


null

Um torcedor que estava mais exaltado se aproximou da grade e saiu em defesa de Luiz Felipe Scolari: “quero ver tirar o Felipão, seu filho da p... Tem que tirar aquele Frizzo. Larga o osso, seus velhos de m. Aparece lá no clube para você ver o que vai te acontecer”, gritou.

Outros, de longe, pediam a saída dos diretores, batiam no braço e no peito e gritavam que amavam o Palmeiras, ao contrário dos dirigentes. O jogo desta quinta-feira foi o 5º consecutivo que o time paulista fica sem uma vitória. São três pontos conquistados nos últimos 15 que foram disputados.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte


Leia tudo sobre: palmeirasarnaldo tironeroberto frizzo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG