Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dirigentes do Botafogo não se decidem sobre a chegada de reforços

Técnico Joel Santana espera um meia para a posição de Renato Cajá, mas contratação é pouco provável

iG Rio de Janeiro |

A saída repentina do meia Renato Cajá para o Guangzhou Evergrande, da China, diminuiu ainda mais as opções do elenco do Botafogo. Sem o jogador, apenas Everton e Fabrício possuem as características de um armador. Por isso, o técnico Joel Santana pediu a chegada de um reforço para a posição, mas o departamento de futebol parece não ter entrado em um consenso sobre a necessidade de reforços.

O gerente de futebol do clube, Anderson Barros, afirmou que o clube está atento, mas dificilmente irá contratar algum jogador até o início do Campeonato Brasileiro. "O Botafogo sempre vai tentar (contratar um jogador), mas no cenário atual a coisa fica muito difícil. Vamos aguardar e ver o que será feito", declarou o dirigente do Botafogo.

Já o vice-presidente de futebol, André Silva, destaca que o clube carioca está observando jovens jogadores para aumentar as opções na posição carente.

"Existe a possibilidade de trazer alguém para a posição. Vamos mapear o mercado e procurar um nome que agrade a diretoria e ao Joel Santana. A tendência hoje, é que esse atleta seja do futebol brasileiro e com um perfil jovem”, declarou André Silva, em entrevista à Rádio Brasil.

Sem Renato Cajá, o técnico Joel Santana adiantou o volante Bruno Tiago na partida contra o Nova Iguaçu, na última quarta-feira. O jogador atuou com mais liberdade ao lado de Everton. O meia Fabrício, que praticamente não atuou em 2010 por uma fratura no pé, também é uma aposta da diretoria.

"Acho que o Fabrício pode ajudar muito o Botafogo. É um jogador com muito potencial e está recuperando ritmo de jogo. Ele entrou em duas partidas e acredito que ele poderá ajudar o Joel, sendo mais uma opção", finalizou André Silva.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG