Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dirigente lamenta não poder controlar fatias de pizza de Adriano

Em programa de TV, Roberto de Andrade citou a alimentação do atacante como um das razões de sua má forma física

Gazeta |

Em participação no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, o diretor de futebol Roberto de Andrade tentou defender o atacante Adriano de críticas. Ainda assim, lamentou não poder controlar a alimentação do jogador, que ainda está distante de sua melhor forma física.

"O Adriano chega para trabalhar perfeito, mas, em casa, a gente não consegue controlar se ele vai comer fatias de pizza", disse Roberto de Andrade. "Isso atrasou a recuperação dele, bem como a falta de confiança no tornozelo. A parte emocional foi o que mais prejudicou", concluiu.

Com contrato válido até junho de 2012, Adriano ainda não produziu o suficiente para justificar a prorrogação. O atacante precisou se submeter à cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo pouco depois de chegar ao Parque São Jorge e, nas poucas vezes em que esteve em campo no Campeonato Brasileiro, não chegou a se destacar.

"A recuperação demorou um pouco mais do que o normal, mas como vamos analisar um jogador que quase não atuou? Não é justo mandar embora sem a gente ter visto o trabalho. Vamos fazer um balanço do que acontecer no primeiro semestre do ano que vem e deixar para conversar quase no fim do contrato", postergou Roberto de Andrade.Apesar do pouco tempo de ação no Campeonato Brasileiro, Adriano agradou ao dirigente em outros pontos. "Ele é uma grande pessoa, um excelente cara para o grupo, que está somando muito. Tudo isso é levado em conta na hora de montar o elenco. Alguém duvida do futebol do Adriano? Acho que não. Ele não desaprendeu a jogar. Passou por uma cirurgia que não é brincadeira e está recuperando a confiança agora", defendeu.

Adriano participou dos últimos 15 minutos da vitória do Corinthians sobre o Atlético-PR, domingo, no Pacaembu. Após a partida, o centroavante disse ter se sentido mais leve em campo, com maior mobilidade.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG