Prorpietários norte-americanos assumiram em 2005 e o clube acumulou dívidas de 500 milhões de libras desde então

selo

O chefe-executivo do Manchester United , David Gill, defendeu nesta terça-feira os proprietários norte-americanos do clube em um inquérito parlamentar sobre o futebol inglês. Alguns torcedores do Manchester United estão irritados com a gestão da família Glazer, que assumiu o clube em 2005 e o deixou com dívidas que são atualmente de 500 milhões de libras.

Gill disse a uma comissão da Câmara dos Comuns nesta terça-feira que os irmãos Glazer não são "um constrangimento". Ele avisou que o clube não vai "abrir um diálogo" com grupos de torcedores que estão "em guerra com os proprietários".

Gill afirmou que os irmãos Glazer "delegaram Alex Ferguson" para falar com os torcedores. Ele não mencionou o fato do técnico se recusar a falar com a imprensa, incluindo o canal de televisão do próprio United.

O dirigente admitiu que um futuro problema a ser enfrentado pelo United será quando Ferguson se aposentar. Gill, garantiu, porém que o clube estará "à altura" para superar o desafio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.