Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dirigente do Grêmio nega atrito com Renato Gaúcho

Antônio Vicente Martins considera mal-entendidos normais numa relação de trabalho

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

Foi durante uma hora e 23 minutos, tempo do voo entre Porto Alegre e Erechim, que o diretor de futebol Antônio Vicente Martins comunicou a Renato Gaúcho a decisão da direção do Grêmio: o treinador terá de comandar a equipe em todos os jogos do Gauchão. A conversa pôs fim ao último capítulo de uma relação tumultuada. Resta saber se trará tranqüilidade ao ambiente tricolor.

Ao explicar que a reivindicação de ter mais tempo para preparar os titulares à Libertadores será atendida apenas em situações específicas, Vicente cobrou de Renato a maneira como ele expôs suas ideias publicamente na terça-feira. Ao atender o telefonema do iG, no final da manhã desta quarta, o dirigente disse que o episódio está superado.

“Ele não precisa concordar com a posição da direção, apenas obedecer. Não há polêmica nisto. Renato se expressou mal”, disse o cartola.

Na tarde anterior, o técnico havia reclamado de cansaço e dado a certeza que não iria ao Interior para comandar os reservas no Gauchão – a exceção seria a partida desta noite contra o Ypiranga. Na manhã desta quarta, no deslocamento a Erechim, local da partida, a ideia foi suplantada.

“A convivência gera alguns mal-entendidos, mas temos uma ótima relação. Não existe tumulto algum”, destacou o dirigente.

O problema é a repetição deste expediente. No final do ano passado, durante as negociações para a renovação de contrato, Renato reclamou publicamente da proposta feita pela direção recém eleita. À época, o presidente Paulo Odone disse que o treinador precisava se preocupar em treinar a equipe.

À medida que as tratativas avançavam o comandante não escondia que elas estariam finalizadas se o grupo de Duda Kroeff, presidente sucedido por Odone, tivesse permanecido na direção do clube. Renato, aliás, revelou-se amigo do antigo diretor de futebol Alberto Guerra.

O momento mais tenso aconteceu no dia 28 de outubro após a derrota para o Fluminense, pelo Brasileirão, na qual o Grêmio não teve pênalti marcado pelo árbitro Heber Roberto Lopes. Pelo Twitter, Vicente criticou postura dos atletas gremistas que não reclamaram do juiz. Renato, então, disse que “muita gente precisava calar a boca”.

Mais uma vez, então, Vicente reprovou o comportamento do técnico após pedir desculpas pelo que definiu como “equívoco ao se expressar”. Os poucos momentos de união explícita foram a renovação de contrato e o apoio dado pelo técnico na fracassada tentativa de contratar Ronaldinho Gaúcho.
 

Leia tudo sobre: GrêmioRenato GaúchoDirigente

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG