Times foram punidos com a perda de dez mandos de campo na Série B por confusão no clássico

As diretorias de Guarani e Ponte Preta não reagiram bem ao receber a notícia de que os dois clubes foram punidos com a perda de dez mandos de campo na Série B, além de serem obrigados a pagar uma multa. A Ponte terá de arcar com o valor de R$ 50 mil, enquanto o Guarani pagará o dobro.

A pena, sentenciada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), se deve aos incidentes ocorridos no clássico do dia 16 de julho, no Moisés Lucarelli, quando o locutor do estádio ofendeu torcedores do Guarani, que colocaram fogo em banheiros localizados na parte reservada para a torcida visitante.

Marcus Vinícius, gerente de futebol da Ponte Preta, se indignou com a decisão, mas aproveitou para cutucar a torcida do Bugre. "É lamentável essa decisão. Fiquei surpreso, mas temos que acatar. Quem sai mais prejudicada é a instituição Ponte Preta, pois não jogar em casa com essa torcida que sempre faz a diferença é ruim".

Já Waguinho Dias, coordenador técnico do Guarani, foi sucinto ao comentar o assunto. Suas poucas palavras também deram o tom da indignação da diretoria alviverde. "A pena foi muito longa, muito severa. Não havia necessidade de tudo isso".

Os dois clubes já sinalizaram que entrarão com pedidos de efeitos suspensivos até o julgamento da sentença em segunda instância, que deve acontecer em 15 dias. Dessa forma eles ainda poderiam mandar seus jogos em seus respectivos estádios e têm uma chande de diminuir a pena.

Ainda neste sábado, às 16h20 (de Brasília), contra a líder Portuguesa, a Ponte Preta poderá se despedir do Moisés Lucarelli para, depois, cumprir o período determinado pelo STJD. Como o Guarani joga fora de casa, a próxima partida já estará enquadrada na punição e a equipe terá de procurar uma nova casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.