Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Diretoria do São Paulo mantém posição de rejeitar novo goleiro

Apesar do pedido do técnico Emerson Leão após a contusão de Rogério Ceni, clube não vai contratar outro jogador da posição

Gazeta |

O técnico Emerson Leão fez um apelo, através da imprensa, pela chegada de um novo goleiro ao São Paulo para suprir a ausência de Rogério Ceni, vítima de uma cirurgia no ombro direito. Mas a direção do clube parece tranquila com as atuais opções do elenco.

Sem o experiente Ceni, Dênis assume a condição de titular. Na suplência, Leão conta com Léo, de 21 anos, e Leonardo, de 19. Os dois nunca atuaram na equipe profissional do São Paulo.

Leia também: Cirurgia de Ceni é bem sucedida e goleiro deve parar até julho

"Nós entendemos que temos três goleiros com toda qualidade e aptidão para cumprir a função. Nesse momento, a expectativa é que o Dênis cumpra o papel (de titular) e, pelas informações que temos do nosso treinador de goleiros e da comissão técnica, o Leonardo e o Léo têm competência. Nós, de maneira geral, entendemos que não é necessário trazer alguém", comentou o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes neste sábado, antes do jogo contra o São Caetano, pelo Paulistão-2012.

Veja ainda: Raí pede calma e diz que Ceni saberá a hora de parar

A ideia da diretoria é, na verdade, aguardar uma avaliação melhor na posição. Afinal, o próprio Rogério Ceni pode antecipar a volta, prevista inicialmente para daqui seis meses. "Nada impedirá que, no futuro, a gente volte atrás", afirmou João Paulo de Jesus Lopes.

Realizada nesta sexta-feira no Hospital do Coração, a cirurgia de Rogério Ceni foi considerada bem-sucedida. A fase inicia de recuperação promete testar, porém, a paciência do capitão tricolor, de 39 anos.

E mais: Em mensagem à torcida do São Paulo, Rogério Ceni diz que 'esse não é o fim'

"Ele ficará imobilizado por seis semanas, as primeiras duas com maior rigor, parado sem fazer nada. Vai colocar gelo e ter movimentação discreta. Depois de seis semanas, trabalha a amplitude de movimento de forma gradual. Depois, passará a realizar fortalecimento e, por fim, ficará liberado para treinos no campo e a liberação", explicou o médico do São Paulo, José Sanchez.

Leia tudo sobre: são pauloleãorogério ceni

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG