Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Diretoria do Paraná se divide sobre o técnico Roberto Cavalo

Vice de futebol é contra permanência do treinador, mas presidente e diretor de futebol o sustentam

Altair Santos, iG Curitiba |

Apesar de estremecida a relação entre o técnico Roberto Cavalo e o vice de futebol Paulo César Silva, o treinador segue no cargo. A série de seis jogos sem vencer poderia suscitar uma troca de comando, mas o diretor de futebol Guto de Mello e o presidente do Paraná Clube, Aquilino Romani, sustentam Cavalo. “Diante dos problemas para a formação de um elenco com qualidade, quem menos tem culpa pelos maus resultados é o técnico”, afirmou Mello.

O dirigente e o presidente do clube são hoje os interlocutores de Roberto Cavalo. Com o vice de futebol o técnico tem falado apenas o essencial. A gota d’água na relação entre os dois se deu na terça-feira, quando Paulo César Silva tentou “forçar” a inclusão do zagueiro Diego, que faz parte categorias de base do clube, no elenco principal. O dirigente levou o jogador para treinar na Vila Capanema sem o consentimento do treinador.

Cavalo esperneou. Disse que considerava a atitude “sem ética” e afirmou que não vai aceitar imposição da diretoria. “Enquanto eu for técnico do Paraná, não vai ser aproveitado mais nenhum jogador da base. Quem tinha de subir já subiu. Os outros jogadores são muito jovens ainda e precisam ser trabalhados lá na base”, desabafou o técnico.

Para o clássico de domingo, contra o Atlético, o Paraná sofrerá novamente mudanças em sua escalação. A tendência é que Luiz Camargo volte a ser titular no meio-campo. Havia a expectativa da estreia do meio-campista Kerlon na Arena da Baixada, mas o jogador está vetado. Segundo a comissão técnica, o jogador ainda precisa de pelo menos mais uma semana para entrar em forma.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG