Segundo presidente eleito do clube mineiro, Vágner Mancini será mantido no cargo até fim do Brasileirão

Com apenas uma vitória em sete jogos no comando do Cruzeiro , o técnico Vágner Mancini segue com crédito entre os diretores do clube mineiro. Segundo o presidente eleito do time, Gilvan de Pinho Tavares, não será uma mudança de treinador que colocará o time no eixo. Entretanto, com os péssimos resultados no comando do time, Mancini convive com o fantasma "Adilson Batista".

Cruzeiro está na zona de rebaixamento. Veja a classificação do Brasileirão

Em entrevista ao programa Alterosa Esporte, da Tv Alterosa, Gilvan de Pinho Tavares disse que Mancini segue no cargo. "Não é a mudança de treinador que vai fazer esse time engrenar. Podem ser outros detalhes, mas não a mudança de treinador. Mudamos de treinador recentemente e nenhum dos que já tivemos fez nosso time decolar. São outros detalhes que vão nos tirar dessa situação em que estamos", afirmou o presidente eleito, que assume o clube em janeiro de 2012.

Leia também: Torcida do Cruzeiro protesta no aeroporto e time sai pelos fundos

Depois da goleada para o Flamengo no Rio de Janeiro , o treinador do Cruzeiro disse que permanecerá no cargo até o final do Brasileirão , apesar de estar envergonhado com a má fase do time. Mancini comandou o time em sete partidas nesse Brasileirão, com uma vitória, dois empates e quatro derrotas.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba notícias do seu time em tempo real

Mesmo com a garantia de Gilvan de Pinho Tavares, o nome de Adilson Batista, atualmente desempregado, ganha força nos bastidores cruzeirenses. O treinador tem amizade com o presidente Zezé Perrella e aceitação de boa parte da torcida. Adilson teve longa passagem pelo Cruzeiro entre 2008 e 2010, chegando ao vice-campeonato da Libertadores em 2009. O treinador seria a última cartada de Perrella à frente do time mineiro.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente a permanência de Vágner Mancini

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.