Muricy minimiza episódio e afirma que não se mete na vida dos jogadores fora de campo desde que não prejudique o trabalho no clube

O único assunto que deveria dominar o noticiário do Fluminense nessa reta final do Campeonato Brasileiro é futebol. Mas depois de Fernando Henrique ser acusado de agredir uma pessoa numa boate na semana passada, nesta quarta-feira foi a vez de Diguinho se envolver em confusão. Segundo a coluna 'Retratos da Vida', do jornal 'Extra', o volante foi um dos protagonistas de uma discussão na festa de aniversário do goleiro Fernando Henrique, em um sítio no Recreio. O jogador treinou com a mão direita enfaixada na última quinta-feira.

"Fiquei muito triste com o ocorrido, pois tratava-se de um momento de comemoração e terminou desta forma. Estou focado no Brasileirão - disse o jogador à coluna publicada na edição desta sexta.

Indagado durante a coletiva de imprensa nesta sexta-feira sobre a confusão envolvendo Diguinho, o técnico Muricy Ramalho foi curto e grosso e minimizou o episódio.

Eu treino pela manhã e á tarde, mas não treino à noite porque não dá. O que os jogadores fazem no tempo livre deles não me interessa em nada desde que não prejudique o ambiente ou nosso trabalho dentro de campo. Se eu perceber que está atrapalhando eu tiro na hora, enfatizou o treinador do Fluminense.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.