Equipe ficou sem alguns jogadores por um longo período em 2010. Fisiologista vê trabalho integrado

Existe um departamento na equipe de futebol do Botafogo que torce para não precisar trabalhar. E em 2011, a sala dos médicos e fisioterapeutas da equipe carioca realmente ficou vazia na maior parte do tempo. Se em 2010, o desfalque de jogadores titulares durante longos períodos foi um dos fatores que impossibilitou o alvinegro de conseguir uma vaga à Copa Libertadores , nesta temporada, as lesões graves não se repetiram, permitindo que a base da equipe seja repetida.

Veja mais: Botafogo é o 3º no Brasileirão. Veja a tabela atualizada

Além do meia Everton , que precisou operar o ombro por conta de uma fratura, ficando dois meses parado, apenas o zagueiro Antônio Carlos e o meia Cidinho tiveram pequenas lesões musculares durante este Campeonato Brasileiro . Nada tão grave comparado ao que o meia Maicosuel e o zagueiro Fábio Ferreira passaram em 2010. Ambos tiveram rompimentos no ligamento cruzado do joelho e perderam toda a reta final da competição. Além deles, o atacante Herrera também passou por uma cirurgia no ombro e ficou dois meses fora dos gramados, entre outubro e dezembro.

Leia também: Loco Abreu completa 35 anos. Relembre 10 gols marcantes do atacante

Para o fisiologista do Botafogo , Altamiro Bottino, apesar das lesões causadas por traumas serem difíceis de serem evitadas, a equipe carioca não contou apenas com sorte. Ele aponta um trabalho integrado entre a comissão técnica permanente e a comissão trazida com o técnico Caio Júnior como um dos motivos para a diminuição no quadro de lesionados no Botafogo.

Veja também: Caio Jr. relata conversas para 'cortar as asas' de Cortês

"Não gosto muito de usar a palavra sorte, acho que existe competência, trabalho, vários fatores, e o principal talvez seja a sintonia entre as partes. Além disso, muitos jogadores amadurecem, passam a entender a importância da musculação, do trabalho físico, após terem uma lesão. Tanto que nenhum lesionado voltou para o departamento médico, o que acontece muitas vezes no futebol", declarou Bottino.

Leia mais: Bruno Tiago comemora chance de substituir 'ídolo Renato'

Fabio Ferreira não voltou ao departamento médico após operação no joelho
AE
Fabio Ferreira não voltou ao departamento médico após operação no joelho
Outros dois fatores também colaboram para que o número de lesionados no Botafogo seja baixo. O elenco é maior e mais qualificado que de 2010, e o técnico Caio Júnior trabalha com relatórios da parte física, poupando jogadores que são indentificados com um nível de desgaste muito grande. Para Bottino, o fato do treinador ouvir toda comissão técnica antes de escalar a equipe é determinante para poucos lesionados.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

"O Caio Júnior escuta muito, ele tem um ótimo relacionamento com todos os profissionais, em especial com o Solivan Dalla Valle (preparador físico). Isso foi determinante em diversos momentos desta temporada, onde alguns jogadores precisavam de um tipo de trabalho diferenciado, ou um descanso, e isso foi feito. Quando as áreas não conversam, o trabalho fica fragmentado. Acho que esse é o segredo do que estamos realizando", disse o fisiologista, que está a 11 anos no clube.

Veja abaixo as 'baixas' do Botafogo em 2010 e nesta temporada:

Jogador Lesão em 2010 Jogos no Brasileirão 2010 Jogos no Brasileirão 2011
Herrera Luxação no ombro esquerdo 23 24
Maicosuel Roptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo 13 27
Fábio Ferreira Roptura do ligamento cruzado do joelho esquerdo 26 26

Entre para a Torcida Virtual do Botafogo e ajude a equipe a subir no ranking

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.