Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Diego Cavalieri nega que sua estreia tenha sido precipitada

Goleiro diz que estava preparado quando foi efetivado como titular e admite que nunca havia sido vaiado antes

Marello Pires, iG Rio de Janeiro |

Desde que se apresentou ao Fluminense, Diego Cavalieri nunca escondeu que precisava recuperar o ritmo de jogo para voltar a ser o mesmo que brilhou no Palmeiras. Afinal, o goleiro entrou em campo apenas dez vezes em pouco mais de dois anos atuando na Europa. Muricy Ramalho foi generoso, atendeu o pedido de Cavalieri e na terceira partida da temporada o efetivou como titular no lugar de Ricardo Berna. Mas após cinco jogos disputados, a verdade é que o goleiro ainda não mostrou a segurança que todos esperavam e experimentou uma sensação nova na carreira.

“Foi a primeira que fui vaiado pela minha torcida. Foi uma experiência nova na mina carreira”, admitiu o goleiro.

Questionado se sua estreia contra o Macaé, na terceira rodada da Taça Guanabara, havia sido precipitada, o novo camisa 1 do Fluminense disse que não e afirmou que tudo foi feito de acordo com o previsto.

null“Não, foi tudo no momento certo. Infelizmente acabou ocorrendo um erro que não estava nos planos e isso nunca é bom numa estreia. Mas acho que eu fiz uma boa pré-temporada, estava treinando bem e por isso o Muricy achou por bem me colocar para jogar”, explicou Cavalieri.

Outra questão levantada pelos jornalistas foi a baixa estatura de Neill, de apenas 1,62, autor de dois gols de cabeça. Tranquilo, o goleiro do Fluminense lembrou de outro baixinho que costuma infernizar as zagas adversárias pelo alto para minimizar o fato.

“Não é porque o cara tem 1,60 que ele não vai fazer um gol de cabeça. O Romário também é baixo cansou de marcar de cabeça. O erro foi o nosso posicionamento”, lembrou Cavalieri, que tentou explicar a razão de o time estar tomando muito gols.

“Os erros lá atrás estão ocorrendo porque entraram algumas peças novas e precisamos nos entrosar. Estamos marcando muito gol, mas sofrendo vários também. Precisamos encontrar o equilíbrio para isso não se repetir”, concluiu.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG