Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Desfalques e polêmica aumentam pressão sobre Ganso no Paraguai

Negociação com o Corinthians pode fazer do meia o vilão do Santos em caso de eliminação na Libertadores

Samir Carvalho iG Santos |

O meia Paulo Henrique Ganso jogará pressionado a partida decisiva do Santos contra o Cerro Porteño, nesta quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Paraguai, pela quinta rodada da Copa Libertadores da América. Além da polêmica envolvendo uma possível transferência para o Corinthians, o camisa 10 será a única estrela da equipe no duelo, já que Neymar e Elano, suspensos, não jogam contra os paraguaios.

Ganso, que está em rota de colisão com a torcida santista, pode ser considerado o vilão do time em caso de uma eliminação precoce na competição continental. Isso porque o Santos precisa vencer o Cerro Porteño para chegar a última rodada do grupo 5 dependendo apenas do próprio resultado para se classificar.

Como o Colo Colo venceu o Deportivo Táchira na terça-feira, no Chile, o Santos terá que ganhar o jogo contra o Cerro. Caso contrário, chilenos e paraguaios podem fazer um "jogo de compadres" na rodada final, em que um empate classificaria ambos.

Desta forma, a equipe santista poderá ser eliminada da competição mesmo com uma vitória contra o Deportivo Táchira, no estádio do Pacaembu. O Colo Colo lidera o grupo, com nove pontos ganhos, enquanto o Cerro é o segundo colocado, com oito. O Santos está na terceira colocação, com apenas cinco pontos.

Após o jogo contra o Americana, no último domingo, pelo Paulistão, Ganso deixou o campo assumindo a responsabilidade de comandar a equipe na decisão contra os paraguaios. "Perdemos três grandes jogadores, craques do futebol, mas eu sou o camisa 10 do Santos e tenho que chamar a responsabilidade. Vamos para o Paraguai buscar a vitoria e quem sabe já buscar a classificação", disse o meia.

Samir Carvalho
Pressionado, Ganso foi escoltado em embarque
O técnico Muricy Ramalho não aprovou o discurso do camisa 10 e teme que o jogador se sinta na obrigação de assumir toda a responsabilidade da equipe na partida, devido às polêmicas envolvendo uma possível saída de Ganso para o Corinthians ou para a Europa.

"Conversarei com ele, vamos orientá-lo. Aqui temos um time de futebol, e o Paulo Henrique é mais uma peça importante dentro dessa equipe que é formada. E, como técnico, eu preciso fazer ele sentir que é importante dentro de um time de futebol, mas não pode assumir toda a responsabilidade de uma partida. Cada jogador tem a sua tarefa dentro de campo e a sua responsabilidade. Somos um grupo", disse Muricy Ramalho.

Ganso e Muricy só não esperavam que a pressão sobre Ganso aumentaria no dia seguinte. Fruto de uma matéria do jornal Lance!, na última terça-feira, segundo a qual um encontro entre dirigentes do Corinthians, representantes da empresa 9ine e do camisa 10 teria definido o acerto entre Ganso e Corinthians.

Leia tudo sobre: santosgansocerro porteñocopa libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG