Moça baleada no carro do atacante tem três processos em andamento como vítima. Ela acusa o jogador pelo tiro, ele nega

Adriano dá entrevista antes de prestar depoimento em delegacia no Rio
Futura Press
Adriano dá entrevista antes de prestar depoimento em delegacia no Rio
O delegado Fernando Reis disse nesta terça-feira que alguém está mentindo no caso que envolve o atacante corintiano Adriano. “E quem estiver mentindo vai pagar, porque está ocupando nosso tempo”, disse o titular do 16° DP, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O jogador esteve na delegacia para o segundo depoimento sobre o episódio envolvendo Adriene Cyrilo, 20 anos, que no sábado levou um tiro acidental na mão dentro do carro do jogador após saírem de uma casa de show; Ela está internada, mas o estado não é grave.

Leia mais: Adriano diz que pode ser vítima de armação

Reis disse ter gostado do depoimento de Adriano, que negou ter dado o tiro acidental e disse nem sequer conhecer a vítima - segundo ele dava a carona a pedido de uma amiga.  A conversa foi mais incisiva porque o delegado pôde fazer perguntas com base nos depoimentos das outras quatro pessoas que estavam no carro, além de Adriene. O jogador e a moça fizeram o teste para avaliar se havia presença de pólvora nas mãos, mas o resultado só sai em uma semana.

Entenda : As confusões do jogador do Corinthians

“Não quero elevar o caso pelo fato do Adriano ser uma pessoa pública, Temos que tratar em igualdade, inclusive a moça, Não é porque está 5 a 1 que temos que culpar alguém com antecedência”, disse Reis. Somente ela persiste na versão de que foi Adriano quem deu o disparo.

Reis apurou que Adriene Cyrilo tem três processos em andamento, todos como vítima: dois de roubo (uma o chamado “saidinha de banco”, quando a pessoa é roubada após sacar grande quantia de uma agência) e uma por agressão. Ela pode ter alta já nesta terça-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.