Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Delegado diz que Adriano pode se complicar se mentiu em depoimento

Segundo Fernando Reis, se atacante estiver mentindo, pode receber uma pena de até seis anos de prisão

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

O delegado Fernando Reis, responsável pelo inquérito do caso do atacante Adriano, do Corinthians, e uma jovem de 20 anos que foi atingida acidentalmente com um tiro na mão dentro do carro do jogador no último sábado, disse nesta segunda-feira que o jogador pode ter sua situação complicada, caso tenha mentido no depoimento inicial. O jogador nega que tenha sido ele o autor do disparo, mas segundo Reism, caso o "Imperador" esteja mentindo, a pena, que se limitaria a pagamentos de cestas básicas e trabalhos comunitários, deixaria de ser branda. Assim, ele responderia por fraude processual, cuja pena seria entre quatro e seis anos de prisão.

O jogador está sendo aguardado para novo depoimento às 18h desta segunda, no 16º DP da Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio), onde o inquérito foi aberto.

Rio News
Marca de bala na parte interna do carro de Adriano
No sábado, Adriano contou que o disparo partiu da vítima, Adriene Cyrilo Pinto, que, segundo o atacante, manuseava uma pistola .40 de propriedade do PM reformado Júlio César Barros, amigo de jogador e que na hora conduzia o veículo de Adriano. As outras testemunhas – além do PM, mais duas mulheres que estavam no carro - deram a mesma versão. Menos Adriene, que sustenta a versão que o tiro partida do atacante. No entanto, se for comprovado que a jovem de 20 anos mentiu, ela responderá por denunciação caluniosa, podendo pegar pena de dois a oito anos de prisão.

Veja também: Mulher é baleada no carro de Adriano, do Corinthians

O laudo conclusivo da perícia do Instituto de Criminalística Carlos Éboli ficará pronto somente na segunda quinzena de janeiro. No entanto, a polícia já sabe que o disparo partiu do banco de trás do veículo. Mais uma vez, somente a vítima afirma que o atacante estava sentado atrás. Os outros quatro envolvidos disseram que Adriano sentava no bando do carona.

Leia também: Relembre outras polêmicas na carreira de Adriano

O grupo saía de uma casa de show na Barra da Tijuca por volta das 6h de sábado e no caminho houve o incidente. Adriene deve passar por nova cirurgia nesta terça-feira. Segundo os médicos do Hospital Barra D’Or, também na Barra, apesar da fratura exposta, há chances de a vítima não perder os movimentos da mão. Está previsto uma acareação entre as partes na quarta-feira. Adriano e Adriene fizeram exame para detectar presença de pólvora na mão.

Leia tudo sobre: adrianocorinthians

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG