Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Defesa sólida é o segredo do líder Corinthians

Depois que Tite chegou, o time parou de sofrer tantos gols e voltou a vencer. Aposta na boa base do início do campeonato foi fundamental

Bruno Winckler, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860284618&_c_=MiGComponente_C

A ascensão do Corinthians, novo líder do Campeonato Brasileiro após a rodada do fim de semana, tem na solidez da defesa sua principal responsável. Em cinco partidas sob o comando do técnico Tite, o Corinthians ainda não perdeu (quatro vitórias e um empate) ,mas o dado mais importante é que nesses cincos jogos o time só sofreu um gol, justamente na única partida em que não saiu vitorioso, no empate por 1 a 1 com o Flamengo.

A defesa mudou da água para o vinho. Sem Tite, nas cinco partidas que antecederam sua chegada, o Corinthians tomou 10 gols.  Dois por jogo. Para os jogadores corintianos, a diferença do antes e do depois de Tite é evidente. Ele resolveu não mudar muito na nossa estrutura. Apostou no entrosamento que a gente tinha, disse o lateral-esquerdo Roberto Carlos, que prefere eximir o antecessor Adilson Batista de culpa pelo mau desempenho da defesa nas rodadas anteriores.

O Adilson teve muitos problemas com lesão, o Chicão não estava bom para jogar, e ele tentou dar uma cara mais ofensiva para o time. E deu certo em alguns jogos. Mas o que importa é que agora, nessa reta final, a gente retomou aquela confiança defensiva que era a cara do time no começo do campeonato, e isso pode fazer a diferença para o nosso lado, disse Roberto Carlos.

Como foi lembrado pelo lateral-esquerdo, pesou a favor de Tite a volta de alguns dos principais nomes da defesa, como Chicão e o volante Ralf. Adilson Batista não pôde contar com os dois em boa parte dos jogos em que dirigiu a equipe e ainda apostou em Thiago Heleno, jogador de sua confiança, mas que não conseguiu fazer bons jogos pelo Corinthians.

Tite não gosta de supervalorizar seu trabalho quando comparado ao de seus antecessores. Diz que todos tiveram sua parcela de participação na boa campanha. Porém, o treinador reconhece que remontar aquele time que fez sucesso no começo do campeonato, quando liderou a competição, foi um passo importante no início do seu trabalho.

O que fiz foi retomar a confiança de um time que ficou conhecido por marcar muitos gols e sofrer poucos. Espero que continuemos assim até o final do campeonato, disse.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthians

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG