Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Dedé lembra que Fred é perigoso até quando está em má fase

Zagueiro elogia atacante do Fluminense e pede superação no Vasco para maratona do Brasileiro e Sul-Americana

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Quando a bola rolar para Vasco e Fluminense, domingo, no Engenhão, as atenções estarão voltadas para dois jogadores em especial. De um lado, o zagueiro Dedé , 12 gols na temporada , apontado o melhor jogador da posição no Brasil. Do outro, Fred , atacante de Copa do Mundo e que nas duas últimas rodadas balançou a rede nada menos que sete vezes. O duelo dará um charme a mais ao espetáculo, já que as duas equipes ainda brigam pelo título brasileiro.

LEIA TAMBÉM: Confira a classificação do Brasileiro

Amigos de seleção brasileira , os dois se respeitam e não adotam a tática da provocação. Pelo contrário, o elogio é recíproco. Fred declarou nas Laranjeiras que seria uma honra ser parado pelo marcador cruzmaltino. Dedé fez do atacante suas palavras.

VEJA TAMBÉM: Duelo Dedé e Fred ainda não teve vencedor. Domingo é o tira-teima

“Fico lisonjeado. Será uma honra para mim também. Mas para o zagueiro é muito pior. Atacante pode perder uma chance que depois ele volta lá e marca. Zagueiro, se falhar na área na frente de um atacante, é responsabilizado pelo gol e ainda fica marcado”, frisou Dedé.

AE
Dedé chega ao 14º gol com a camisa do Vasco em três temporadas
O zagueiro foi além. Disse que todo cuidado é pouco com o camisa 9 do Fluminense. Fred, segundo o zagueiro de São Januário, atravessa uma fase iluminada. Pará-lo não será nada fácil.

“O Fred em má fase, a bola para no pé dele e ele boTa para dentro. Imagina ele na fase em que está! O Vasco precisa de muita atenção não só com ele, mas com toda equipe do Fluminense, pois tem grandes jogadores”, destacou o zagueiro vascaíno.

Dedé terá, depois do Fluminense, um jogo difícil pela Sul-Americana, em Santiago, contra o Universidad de Chile. No Rio, as aduas equipes empataram em 1 a 1. Para chegar à final do torneio, o time carioca precisa vencer por um gol de diferença. Contudo, a palavra cansaço, assegura o zagueiro, não faz parte do vocabulário cruzmaltino.

“Temos a Sul-Americana e depois do Flamengo. Sabemos que serão jogos muito difíceis, mas é momento de superação. Superação em cima de superação”.
 

Leia tudo sobre: vascofluminensebrasileirão 2011dedéfred

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG