Tamanho do texto

Time de Campinas jogou em casa, saiu atrás no placar, mas conseguiu vencer uma equipe que está no G4

Jogador do Guarani comemora um dos gols marcados na vitória contra o Náutico por 3 a 1
Futura Press
Jogador do Guarani comemora um dos gols marcados na vitória contra o Náutico por 3 a 1

Mais uma vez o Guarani sofreu, mas conseguiu sair com a vitória. Com um 3 a 1 construído sobre o Náutico no segundo tempo, o time chegou aos 37 pontos e finalmente parou de pensar no risco de ser rebaixado. Enquanto isso, o Náutico desceu mais uma posição e termina a rodada em quarto lugar.

Mesmo abrindo o placar com Kieza, aos 36 do primeiro tempo, o Náutico sucumbiu à força do Guarani, que marcou três vezes na segunda etapa, sendo duas com Marcelo Macedo e uma com Felipe, que fechou o placar.

O duelo entre os opostos começou muito aberto no Brinco de Ouro. Se por um lado João Paulo, lateral do Guarani, já cruzou uma bola na área adversária no primeiro minuto, o Timbu fez o mesmo aos seis, quando Jeff Silva lançou e o zagueiro Ewerthon Páscoa fez o corte.

Eduardo Ramos, que foi absolvido pelo STJD na última segunda-feira, foi o primeiro a fazer o torcedor bugrino levantar das cadeiras. Aos sete minutos, o camisa 10 dominou a bola na intermediária e foi carregando até a área adversária. No chute cruzado, a bola saiu pela linha de fundo.

A partir dos dez minutos, o Náutico começou a mostrar que não veio para Campinas a passeio. Na primeira oportunidade, Rogério dominou com categoria e foi para cima do zagueiro Aílson, que não conseguiu alcançar. A batida, entretanto, foi sem direção. Os visitantes se mantiveram na pressão, mas perderam outras boas oportunidades aos 29 e aos 32, ambas com Rogério.

Apesar do único lance de intensidade do Guarani ter saído pela esquerda, com João Paulo, foi justamente desse lado que Derley cruzou rasteiro e viu Kieza receber na área, se antecipando à marcação, para abrir o placar a favor do Náutico.

Para a segunda etapa, o Guarani voltou mais ofensivo, com Fabinho no lugar de Dadá e um 4-3-3 que prometia, de acordo com o técnico Giba. Promessa é dívida. A jogada do time de Campinas na segunda etapa foram as enfiadas para Fabinho que usava a velocidade para abrir o jogo e facilitar a infiltração dos companheiros que vinham de trás.

Entretanto, nenhum dos dois gols que o Guarani marcaria em sequência seriam dessa forma. O primeiro, aos dez, ocorreu após cobrança de escanteio, quando a bola viajou e chegou aos pés de Marcelo Macedo, que não perdoou e soltou uma pancada para o fundo das redes.

Menos de dez minutos depois, em outro cruzamento na área, Denílson furou, mas Marcelo Macedo, o novo matador bugrino, bateu forte e aumentou a vantagem, virando o placar para o Guarani.

Os anfitriões seguraram a pressão exercida pelo Náutico com lances ousados de Eduardo Ramos para manterem a posse de bola e, aos 29, ampliar o placar e sacramentar mais um resultado positivo que confirma a reação do time na Série B. Após insinuante drible de Denílson, que cruzou rasteiro na área, Felipe apareceu para marcar o terceiro.

Depois dos três gols, naturalmente, o Guarani diminuiu o ritmo. O Náutico, sem reação, só assistiu as tentativas de Aílson e Fabinho nos últimos minutos. Sem força, sucumbiu à derrota fora de casa.

FICHA TÉCNICA
GUARANI 3 X 1 NÁUTICO

Local : estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Data : 4 de outubro de 2011 (terça-feira)
Horário : 20h30 (de Brasília)
Árbitro : Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Assistentes : Marcelo Bertanha Barison (RS) e Marçal Rodrigues Mendes (RJ)
Cartões amarelos : Éwerthon Páscoa (Guarani) e Jeff Silva (Náutico)

GOLS : Guarani - Marcelo Macedo, aos 10 e aos 16 do segundo tempo, e Felipe, aos 29 do segundo tempo ; Náutico - Kieza, aos 36 do primeiro tempo.

GUARANI : Emerson; Chiquinho (Ari), Éwerthon Páscoa, Aílson e João Paulo; Leandro Carvalho, Mika, Dadá (Fabinho) e Felipe; Marcelo Macedo e Denílson (Felipe Adão)
Técnico : Giba

NÁUTICO : Gideão; Peter, Diego Bispo, Ronaldo Alves e Jeff Silva; Everton, Elicarlos, Derley e Eduardo Ramos (Joelson); Rogério (Alexandro) e Kieza
Técnico : Waldemar Lemos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.