Volante afirmou que vencer Gabão e Egito será importante para dar moral à seleção e revelou que gostaria de enfrentar atuais campeões mundiais

A voz decidida e o olhar firme de quem sabe o que diz não acusam a pouca idade de Lucas Leiva . Parece mais velho pela maturidade. Aos 24 anos, o volante também já tem currículo de gente grande no futebol. Acumula muitas histórias para contar. Boas histórias, que ele mesmo gosta de contá-las. Antes de embarcar para Libreville, capital do Gabão, onde a seleção brasileira enfrenta os donos da casa na próxima quinta-feira, Lucas recebeu o iG no centro de treinamentos de seu clube, o Liverpool . Um dos jogadores de confiança de Mano Menezes, ratificou o discurso otimista do treinador.

VEJA TAMBÉM: Após quase jogar no SP, 'Luganito' Coates quer novo Maracanazo

"Como o Mano falou depois da vitória contra o México (2 a 1, em outubro, em Torreón), acho que foi um marco para a nossa seleção, uma arrancada positiva. A gente vem numa sequência boa, temos encontrado o caminho das vitórias", analisou o ex-gremista. "Agora temos mais dois amistosos pra fechar bem o ano, com duas vitórias, para dar ainda mais confiança pra todo o grupo".

Além do Gabão, o Brasil também vai enfrentar o Egito, no próximo dia 14, em Doha, no Qatar. Adversários que podem não ser dos mais temidos, mas serão importantes para o entrosamento, segundo Lucas .

LEIA TAMBÉM: Mano muda seleção e aposta em "duplas portuguesas" diante do Gabão

"Sem jogar as eliminatórias, a gente sabe que nem sempre terá disponíveis adversários tradicionais, já que eles estão envolvidos nestas disputas. Então, independentemente dos rivais, temos que aproveitar cada amistoso para entrosar a nossa equipe", afirmou o atleta. "Não importa tanto o adversário e, sim, o jeito que a Seleção vai jogar. É assim que temos que pensar".

Apesar de se preocupar mais com o desempenho brasileiro do que com quem está do outro lado do campo, Lucas Leiva admite que gostaria de enfrentar um oponente em especial: os atuais campeões mundiais.

"Inegavelmente a Espanha é a melhor seleção do mundo no momento, e eu acho que seria uma experiência muito boa jogar contra eles. Seria um grande risco também (risos). Seria bem legal ver esse jogo, sem dúvida", explicou o volante do Liverpool. "Enfrentar esses grandes adversários, como a gente vem enfrentando França, Argentina, Holanda, Alemanha, são oportunidades para evoluir e aprender com os erros que eventualmente apareçam. Para chegarmos bem à Copa do Mundo, pois é lá que não podemos mais errar".

No Liverpool desde 2007, Lucas Leiva já participou de 187 partidas pelo clube inglês
Felipe Rocha
No Liverpool desde 2007, Lucas Leiva já participou de 187 partidas pelo clube inglês

Com a camisa do Liverpool , Lucas está próximo de atingir a expressiva marca de 200 partidas. Sua estreia foi em julho de 2007. De lá para cá, participou de outros 178 jogos pelo clube. Apresentações que consolidaram seu espaço no atual grupo da seleção brasileira.

E AINDA: CBF confirma corte de Kaká e saída de Marcelo da seleção

"Te confesso que não imaginava que pudesse permanecer num clube inglês por tanto tempo, com uma cultura totalmente diferente da nossa. Principalmente após o início complicado que tive, de muita desconfiança de todos e eu também não me sentindo bem", disse Lucas. "Mas, nas ultimas três temporadas, em especial, venho crescendo e conquistei um papel importante na equipe. Não é fácil conseguir esse respeito, é um motivo de orgulho".

O amistoso entre Brasil e Gabão está marcado para as 16h (de Brasília) da próxima quinta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.