Sem sorrir, lateral direito afirma que gosta de apoiar e que precisa aprimorar poder de marcação

Com cara de poucos amigos, Paulo Henrique foi apresentado nesta quinta-feira como novo lateral direito do Palmeiras . Contratado por empréstimo até o fim deste ano do Paraná , o jogador de 21 anos não encontrou descontração suficiente para sorrir com a nova camisa.

Paulo Henrique não sorriu nem para os fotógrafos na sua apresentação
AE
Paulo Henrique não sorriu nem para os fotógrafos na sua apresentação

Apesar dos insistentes pedidos de fotógrafos e câmeras para que um sorriso fosse dado, o jogados insistiu em fechar a cara e explicou: “sou assim mesmo”.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

“É do meu perfil, sou mais sério, não sorrio, não. É a minha característica”, disse ele, para depois explicar seu estilo de jogo. “Sou mais ala do que lateral. Meu forte mesmo é o apoio. Mas já estou procurando nos treinos aperfeiçoar a minha marcação. No futebol de hoje, não pode saber só atacar”, completou.

Paulo Henrique chamou a atenção jogando no início deste ano pelo Paraná, que acabou rebaixado no Estadual. O jogador afirmou que a queda não o assusta e nem traz mais peso para jogar pelo Palmeiras. Ele justifica o desastre no seu ex-clube com a falta de maturidade dos companheiros e usa de exemplo o atleta mais velho, que tinha 23 anos.

“O time era muito novo, foi montado em cima da hora e faltou maturidade para todo mundo. Eu estou tranquilo apesar disso e sei do meu valor. Agora vou procurar o meu espaço. Estou chegando agora, sou novo e vou procurar meu espaço. O Cicinho fez um grande Paulista, ele está bem na minha frente e eu vou mostrar que tenho condições de ser titular”, afirmou.

E Paulo Henrique elegeu o xará de seu concorrente, Cicinho que atuou pelo São Paulo, como seu ídolo no futebol, além de usar o volante Pierre como exemplo a ser seguido para ter sucesso no Palestra Itália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.