Tamanho do texto

Argentinos tiveram propostas milionárias e exigiram aumentos salariais para ficar nos seus clubes

Os argentinos estão em alta no Internacional e no Cruzeiro . D´Alessandro e Montillo são os principais jogadores de suas equipes e estão valorizados no início da temporada. Os dois receberam propostas milionárias e seus times foram obrigados a abrir os cofres para continuar a contar com o talento dos dois maestros "hermanos".

Leia também: Jogadores do Cruzeiro negam ciúmes por aumento de Montillo

Os torcedores colorados ficaram apavorados com a notícia de que o Shanghai Shenhua, da China, abriu os cofres e estaria disposto a desembolsar cerca de dez milhões de euros para contar com o futebol de D´Alessandro. O argentino balançou com a proposta, mas a diretoria do time gaúcho trabalhou rápido e garantiu um aumento ao meia, que já recebia cerca de R$300 mil.

Veja também: Inter vence concorrência chinesa e anuncia permanência de D´Alessandro

"Estou feliz em permanecer no Inter. Estou ficando no clube que me acolheu muito bem, que me deu muito carinho. Sinto um orgulho muito grande por continuar vestindo essa camiseta. Às vezes o futebol te coloca numa situação difícil, pois tem muitos fatores envolvidos, como a família e sentimentos, mas tenho certeza de que fiz a escolha certa", disse D´Ale na nota oficial do Inter que divulgou o acerto para a permanência.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em uma equipe recheada de craques e jogadores experientes, D´Alessandro foi o escolhido de Dorival Júnior para assumir a braçadeira de capitão. "Para mim, ser capitão é um reconhecimento pelo meu trabalho, mas aqui não tem um só líder, tem vários. O Bolívar, o Kleber, Tinga e o Guiñazu. Eu assumo esta responsabilidade, mas aqui todo mundo é líder e no grupo não tem vaidades", explicou D´Alessandro.

Montillo voltou à seleção argentina atuando pelo Cruzeiro
CBF/Divulgação
Montillo voltou à seleção argentina atuando pelo Cruzeiro
Elogios
Montillo também já esteve na mira do futebol chinês. Antes de contratar Dario Conca em 2011, o Guangzhou sondou o Cruzeiro sobre a possibilidade de levar o argentino, mas o clube mineiro logo vetou a saída de seu craque. O 10 do Cruzeiro elogiou o compatriota.

"Vocês (jornalistas) têm que dizer quem é melhor. Eu acho que é ele, por tudo que já conquistou aqui no Brasil. Um ótimo jogador e por isso chegou a proposta chinesa. Tenho uma relação boa com ele e por sorte ele ficou no Brasil", disse Montillo.

Mas foi a proposta do Corinthians que mexeu com Montillo . O clube paulista disputa a Libertadores e ofereceu um salário duas vezes maior do que o atual no Cruzeiro (receberia cerca de R$400 mil no clube do Parque São Jorge), o que fez com que Montillo forçasse sua saída.

Novamente, a diretoria cruzeirense bateu o pé e exigiu que o contrato fosse mantido. Para continuar, Montillo também exigiu um aumento salarial . "Todo mundo está valorizando o Montillo. Estou feliz aqui, mas se o Cruzeiro quiser que eu permaneça, terá que valorizar também. Vou sempre defender os interesses da minha família”, disse o argentino. A situação ainda não foi resolvida e as duas partes já se encontraram para tentar chegar a um denominador comum quanto ao salário do meia.

O técnico Vágner Mancini confirma que seria praticamente impossível repor a saída do seu camisa 10. "Seria difícil repor se ele saísse. Dificilmente encontraremos alguém que faça a função dele, por isso é tão valorizado", analisou o treinador cruzeirense.