Tamanho do texto

Com show de Montillo, autor de três gols, time celeste pode perder por até sete gols que estará na final

O Cruzeiro não teve a menor dificuldade para golear o América de Teófilo Otoni, por 8 a 1, e praticamente garantir uma vaga na final do Campeonato Mineiro. Mesmo jogando no campo do adversário, o time cruzeirense foi superior do primeiro ao último minuto, com destaque para mais uma grande atuação do meia Montillo. O argentino do Cruzeiro fez três gols, fato inédito desde que chegou ao clube, e ainda deu o passe para o gol de Henrique. O zagueiro Léo, duas vezes, o lateral-esquerdo Gilberto e o atacante Wallyson completaram o placar. Wellington Bruno fez o de honra para o time local.

Montillo marcou três na goleada do Cruzeiro
AE
Montillo marcou três na goleada do Cruzeiro

O jogo

Apesar da vantagem de jogar por dois empates, o Cruzeiro não foi cauteloso. O time de Cuca entrou para decidir o jogo e nos primeiros minutos já pressionava o América-TO. A equipe de casa, aliás, não ameaçou a vitória celeste em nenhum momento. O primeiro gol até que demorou para sair. Mesmo superior, o Cruzeiro só fez o primeiro aos 21 minutos, com volante Henrique, da entrada da área. Ainda no primeiro tempo, dez minutos depois, veio o segundo gol. Depois de ótima trama do ataque celeste, Gilberto ficou sozinho na pequena área para apenas empurrar a bola para dentro do gol.

A chuva de gols foi no segundo tempo. Foram seis gols marcados pelo Cruzeiro e mais um do América-TO. O zagueiro Léo, que estava no lugar do machucado Victorino, marcou duas vezes. Ambas em cruzamentos do meia Roger e de cabeça, aos nove e 16 minutos. A cada gol cruzeirense, a facilidade para chegar ao gol de Fábio Noronha ficava maior, enquanto seu xará, o Fábio do Cruzeiro, pouco participava do jogo.

Aos 18 minutos mais um gol do Cruzeiro, o primeiro de Montillo na noite. O camisa 10 marcou depois de outra bela troca de passes do time celeste. Dois minutos depois, outro camisa 10, o do América-TO, fez um belo gol. Wellington Bruno acertou um chute de fora da área e evitou sua substituição, já preparada pelo técnico Gilmar Estevam. Depois do gol, Wellington ficou em campo e Rogélio Ávila deu lugar a Chrys.

Aos 30 minutos o meia Montillo sofreu pênalti, que ele mesmo cobrou, apesar do pedido feito pelo atacante Wallyson. Mas o grande lance do argentino foi três minutos depois. O jogador cruzeirense colocou a mão na bola, mas como o árbitro nada marcou, ele ficou sozinho com o goleiro Fábio Noronha e fez um belo gol de cobertura.

Mas não satisfeito em repetir o placar do Atlético-MG, que na semana anterior tinha feito 7 a 1 no próprio América-TO, o Cruzeiro buscava o oitavo gol. Wallyson esteve perto aos 37 minutos, quando acertou uma bola no travessão, mas só marcou aos 40, de pênalti. Com o resultado de 8 a 1, o Cruzeiro pode até perder por sete gols de diferença, no domingo, na Arena do Jacaré, que vai estar na final do Campeonato Mineiro. Agora é concentrar na Libertadores e aguardar pelo duelo entre América-MG e Atlético-MG.

FICHA TÉCNICA – AMÉRICA-TO 1 X 7 CRUZEIRO
Local:
Estádio Nassri Mattar, em Teófilo Otoni-MG
Data: 23 de abril de 2011, sábado
Horário: 18h30 (horário de Brasília)
Renda: R$ 91.910,00
Público: 3.389 pagantes
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (ASP. FIFA/AL)
Assistentes: José Ricardo Maciel Linhares (CBF/ES) e Paulo César da Silva Faria (CBF/MT)
Cartões Amarelos: Leandrinho, Araújo e Jonatas Obina (ATO); Montillo, Fábio e Gil (CRU)
Cartão Vermelho: Luis Henrique (ATO)

GOLS:
AMÉRICA-TO: Wellington Bruno, aos 22 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO: Henrique, aos 21, Gilberto, aos 31 minutos do primeiro tempo; Léo, aos 9 e aos 16, Montillo, aos 18, aos 30 e aos 33, Wallyson, aos 40 minutos do segundo tempo

AMÉRICA-TO: Fábio Noronha; Luis Henrique, Júnior Pereira e Rodrigo Senna; Osvaldir, Luizinho, Cássio (Leandrinho), Wellington Bruno e Bruno Barros; Rogélio Ávila (Chrys) e Jonatas Obina. Técnico: Gilmar Estevam

CRUZEIRO: Fábio; Pabl0o (Leandro Guerreiro), Léo, Gil e Gilberto; Marquinhos Paraná, Henrique, Roger (Everton) e Montillo; Wallyson e Thiago Ribeiro (Farías). Técnico: Cuca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.