Clube mineiro diz que é impossível competir com o salário oferecido pelo Corinthians

A notícia de que Montillo gostaria de ser negociado com o Corinthians pegou a diretoria do Cruzeiro de surpresa. O jogador já havia conversado sobre a proposta do time paulista e confessado que ficou balançado com o alto salário, mas os dirigentes esperavam que ele quisesse permanecer na Toca da Raposa II.

Leia também: Montillo pede para deixar o Cruzeiro e quer ir para o Corinthians

Dimas Fonseca, diretor de futebol do Cruzeiro, foi quem se pronunciou depois da declaração do armador via assessoria de imprensa. "Fiquei surpreso pela assessoria ter nos informado da situação. Tive uma conversa boa com ele (Montillo), ele me explicou, fez ponderações sobre a proposta do Corinthians . São valores muito acima do mercado mineiro. Entendi bem, respeitava a posição dele. Nesse primeiro momento aconteceria essa reação com todos, até pelo desejo de buscar uma independência financeira", afirmou o cartola cruzeirense.

Veja também: Corinthians recua e pode voltar a negociar com Montillo

A situação do armador segue indefinida até que seja marcada uma reunião entre o atleta e o presidente Gilvan de Pinho Tavares. "Montillo disse que gostartia de falar com o Gilvan, mas disse a ele que seria impossível hoje. Já transmiti minha posição e o Gilvan está pronto para conversar com ele. Vai acontecer esse encontro e vamos acertar. Para liberar seria dentro da proposta que atendesse ao Cruzeiro", explicou Dimas Fonseca.

Sobre os valores para liberar Montillo, Dimas Fonseca foi enfático ao dizer que oito milhões de euros não seriam suficientes. "De forma alguma oito milhões. Duílio (Monteiro, diretor adjunto do Corinthians) esteve conosco em nome do Corinthians. Veio para esclarecer a situação, porque o procurador colocou valores que eles não pagariam, superiores aos 15 milhões de euros. O Duílio veio, esclareceu que houve um erro do empresário, não eram esses os valores. Pediu desculpas pela forma que parecia que o Corinthians assediava. Ele reafirmou a proposta de 20 milhoes de reais por 100% do atleta. Isso significa 8,3 milhões de euros", disse o dirigente cruzeirense.

Por fim, Dimas Fonseca afirmou que não está magoado com Montillo e que essas são situações corriqueiras no futebol. "Seria uma reação natural de qualquer pessoa. Quando você recebe duas vezes mais, não tenha dúvida que assusta. Ainda mais no futebol, quando o valor já é alto e você ganha 200% de aumento. Como diretor, sabendo das receitas aqui do clube, acho praticamente impossível pagar a proposta salarial recebida. Não entendo que ele não esteja sendo correto com o Cruzeiro. Achei que era melhor conversar depois. Cruzeiro não quer que o Montillo saia. Sempre deixamos claro o profissionalismo dele. Vamos fazer de tudo para que ele continue conosco", concluiu Dimas Fonseca.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente a posição da diretoria

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.