Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Cruzeiro espera não precisar do "fator sorte" contra Estudiantes

Em jogo que tudo deu certo, time celeste foi muito bem e goleou o adversário na estreia da Libertadores

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

O Cruzeiro enfrenta, na próxima quarta-feira, o Estudiantes, na Argentina. E o time mineiro tem boas recordações do adversário nesta temporada. A goleada por 5 a 0, na estreia da Copa Libertadores, é considerada por muitos jogadores o melhor jogo do time no ano. Wallyson e Montillo marcaram duas vezes cada naquela partida, em lances não tão comuns. Mas os jogadores sabem que nem sempre a sorte estará do lado azul.

O atacante Wallyson realizou sua primeira partida como titular do Cruzeiro naquela goleada. Uma aposta do técnico Cuca que deu certo. Logo na primeira bola que recebeu, no primeiro minuto do jogo, o jogador decidiu arriscar de fora da área. A bola resvalou em um defensor e encobriu o goleiro Orion. Apenas um indício da grande noite que se desenhava para os cruzeirenses.

Vippcom
Wallyson fez a festa contra o Estudiantes e contou com a sorte nos dois gols que marcou
No segundo tempo, Wallyson marcou outro gol em que contou com a sorte. Depois de cruzamento pela direita, a bola praticamente bateu no peito do atacante antes de morrer nas redes argentinas. “Aquele foi um dos jogos mais importantes da minha carreira, até por ser minha primeira Libertadores. Na primeira bola que peguei, consegui fazer o gol. Espero continuar com essa sorte no próximo jogo”, afirmou Wallyson.

O meia Montillo acredita que, na partida em La Plata, o Cruzeiro tem que buscar um desempenho ainda melhor, sem precisar contar com a sorte para vencer. “Temos que saber que o jogo pode não ser igual ao daqui, com muitas coisas acontecendo a nosso favor. Lá (na Argentina), isso não vai acontecer e será um jogo diferente. Campo cheio, estádio lotado. Eles estão aguardando esse jogo depois do 5 a 0 que tivemos aqui”, ponderou o argentino.

Naquela ocasião, o camisa 10 também contou com a ajuda do imponderável. Arriscou de fora da área e o goleiro Orion aceitou um frango. Assim como Wallyson, o argentino também balançou as redes duas vezes na goleada.

Já o volante Henrique acredita que a sorte acompanha os vencedores. “Sorte só tem quem tem competência. E nós tivemos naquele jogo. Com um minuto fizemos o gol. Focados, buscamos o gol a todo momento naquela ocasião. Neste confronto eles virão mordidos pelo 5 a 0, mas vamos ter calma para sair com a vitória", analisou o volante cruzeirense.

Ameaça
A partida na Arena do Jacaré que acabou 5 a 0 para o Cruzeiro teve um gosto de revanche para o Cruzeiro, especialmente depois da derrota na final da Libertadores de 2009 para o mesmo Estudiantes. O principal carrasco de dois anos atrás ameaçou o volante Marquinhos Paraná ao ver seu time ser atropelado em 2011.

Verón disse ao volante cruzeirense que a revanche viria na Argentina. “Foi um lance com o Dudu, não me lembro bem. Não foi falta e eu fiquei rindo. Ele (Verón) olhou para mim e disse que teria revanche. Eu só tinha que olhar para ele e rir, pois eram eles que estavam perdendo”, revelou Marquinhos Paraná.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroCopa Libertadores 2011WallysonMontillo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG