Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Cruzeiro e Inter se destacam na Libertadores e lembram os anos 70

Confira as principais virtudes dos dois melhores brasileiros na edição 2011 da competição sul-americana

Gabriel Cardoso e Frederico Machado, iG |

AP
Internacional defende o título da Copa Libertadores 2010, mas o Cruzeiro é uma das grandes ameaças
Cruzeiro e Inter fazem as melhores campanhas entre os times brasileiros na Libertadores. Os mineiros contabilizam 10 pontos em 4 jogos, enquanto os gaúchos estão com 7 pontos em 3 partidas. Os dois estão na disputa pela melhor campanha da fase de grupos.

O bom momento de ambos remete à década de 70, quando estavam entre os clubes mais fortes do futebol brasileiro e protagonizaram encontros memoráveis. O Internacional conseguiu o seus três títulos brasileiros naquela época (1975, 76 e 79). Na primeira decisão viu o Cruzeiro pela frente e chegou ao título com uma vitória de 1 a 0 no Beira-Rio e o “gol iluminado” de Figueroa. O time tinha: Manga; Valdir, Figueroa, Hermínio, Chico Fraga; Caçapava, Falcão, Carpegiani ; Valdomiro (Jair), Flávio e Lula. Técnico: Rubens Minelli.

“Cruzeiro e Inter é um dos maiores clássicos do futebol brasileiro. O que costumavam dizer na década de 70 é que um Cruzeiro x Inter nunca terminava 0 a 0. Sempre tinham gols. Até hoje aquele 5 a 4 do Mineirão é comentado”, lembra Valdomiro, ex-atacante do clube gaúcho.

O troco do Cruzeiro veio no ano seguinte, em partida ainda mais marcante. Quem foi ao Mineirão naquele março de 1976 viu um jogo histórico pela Libertadores: Cruzeiro 5 x 4 Inter. Seria apenas a estreia de Raul Plassmann, Nelinho, Morais, Darci Menezes e Vanderlei Lázaro; Zé Carlos e Eduardo Amorim; Roberto Batata (Isidoro), Palhinha, Jairzinho e Joãozinho. O time de Zezé Moreira chegaria ao título da competição, sendo o único brasileiro que conseguiu quebrar a hegemonia de argentinos e uruguaios naquela década.

“Um grande jogo, com 9 gols. Não gostei muito pois eu tomei 4 (risos). Muitos dizem que foi o maior jogo da história do Mineirão. Ficou marcado pela importância do torneio. Eram os dois maiores times da época, tanto que um ganhou o Braisleiro e o outro a Libertadores. Acho que ficou bem dividido, eles com o Brasileiro e nós com a Libertadores. Seria injusto um levar tudo", comenta Raul Plassmann, ex-goleiro do clube mineiro.

AFP
Cruzeiro impressionou logo na estreia ao golear o Estudiantes. São 15 gols e o melhor ataque do torneio
Na edição 2011 os times fazem campanhas parecidas, mas por caminhos diferentes. O Cruzeiro é o time das goleadas. Fez 5 a 0 no Estudiantes, 4 a 0 no Guarani-PAR e 6 a 1 no Tolima-COL, além de um empate sem gols na Colômbia.

"É difícil dizer quem venceria. Vejo o Inter muito competitivo. Seria igual nos anos 70, sem favoritos. Mas apostaria no Cruzeiro por razões óbvias", diz Raul.

O Inter não estreou tão bem, mas começou a embalar e pode igualar os números do rival. 1 a 1 contra o Emelec-EQU, 4 a 0 no Jaguares-MEX e 4 a 1 no Jorge Wilstermann. Bolatti fez 3 gols e é o artilheiro do time, Leandro Damião marcou dois.

“O Cruzeiro está com um time bom, muito organizado, mas eu acho que o meu Inter também está fazendo boa campanha e a nossa meta é manter o título no Beira-Rio. É importante conseguir a primeira classificação nesta fase para decidir o mata-mata em casa”, comenta Valdomiro.

Vipcomm
O Cruzeiro sempre passou da fase de grupos nas 12 participações em Libertadores
O jogo dos gaúchos é feito pelos lados do campo. Quatro dos 9 gols saíram de cruzamentos. Já o Cruzeiro prefere atacar pelo meio: Foram 10 gols desta maneira e outros 5 oriundos de jogadas pela lateral. Wallyson com 5 gols é o artilheiro. Montillo e Roger marcaram 3 vezes cada.

O Cruzeiro demonstra mais efetividade, enquanto o Inter tem maior volume de jogo. Segundo dados do Footstats os mineiros tem uma baixa média de finalizações a gol: 11,8 por jogo, enquanto o Inter é o brasileiro que mais chuta a gol (média de 16). Mas o Cruzeiro já fez 15 gols, enquanto o Inter fez 9.

O clube da Toca da Raposa valoriza mais a bola. O Cruzeiro tem uma média de 12 minutos e 50 segundos de posse de bola por jogo, enquanto o Inter fica com ela por 10 minutos e 7 segundos, sendo o pior brasileiro no quesito. A explicação vem em outros dois critérios: Os mineiros são os que mais acertam passes (90,2%), os que mais desarmam (32 por jogo), enquanto o Inter acerta 87,7% dos passes e tem média de 16 roubadas de bola.

Alguns jogadores lideram quesitos individuais e ajudam muito seus times. O volante Henrique é o rei das assistências: 4. O goleiro Lauro é o goleiro brasileiro que mais defesas faz: Uma média de 3,7 por jogo.

Pablo (20 desarmes), Gil (15) e Diego Renan (14) colaboram e muito para o goleiro Fábio não ser ameaçado, foram os jogadores que mais desarmaram na competição. Lá na frente, Montillo, Roger e Wallyson acertaram 5 chutes a gol cada e estão entre os primeiros no quesito. Só são superados por Leandro Damião: O jogador é o brasileiro que mais acertou finalizações em gol. Foram 7 em três jogos.

Vipcomm
Inter não perde um jogo de Libertadores no Beira-Rio desde 1993. São 18 partidas de invencibilidade

 

Leia tudo sobre: InternacionalCruzeiroCopa Libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG