Enquanto rival tem nos meninos da base seu alicerce, time de Cuca é comandado por atletas mais rodados

O
Vipcomm
O "vovô" Roger é um dos mais experientes do Cruzeiro no clássico contra o Atlético-MG
O Atlético-MG passou por uma reformulação recente e tem um time repleto de garotos formados na própria categoria de base do clube . Já o Cruzeiro conta no seu elenco com jogadores rodados, acostumados à decisões. Mas, nas duas últimas partidas, o time celeste mostrou muito nervosismo diante de situações adversas no placar.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Durante toda a temporada, o Cruzeiro se acostumou a sair na frente no placar e a encurralar o adversário, sempre tomando as rédeas da partida. Mas, contra o Once Caldas e contra o Atlético-MG, a equipe azul viu os adversários saírem na frente em jogos decisivos e não conseguiu reverter a situação.

O meio-campo é o setor do Cruzeiro com mais atletas rodados. Marquinhos Paraná (33 anos), Roger (32 anos) e Gilberto (35 anos) são os responsáveis por ditar o ritmo do jogo. “Temos um time muito técnico e experiente, não só no meio-campo. Vamos suar muito, sofrer bastante para buscar esse título para o Cruzeiro”, avaliou Roger.

Para o zagueiro Victorino , que já disputou até mesmo Copa do Mundo pela seleção uruguaia, ter um time com jogadores mais experientes pode fazer a diferença na hora da decisão. “Experiência é bom. O jogador já conhece como jogar final, partidas decisivas. Mas juventude pode pesar também na questão do fôlego. Nosso time já jogou muitas finais e isso é uma vantagem que nós temos”, analisou Victorino.

E fôlego é o que não falta ao zagueiro Gil, de 23 anos. O jogador acredita que a diferença de idade entre os dois times tende a ser minimizada pela vontade no clássico. "Temos um time experiente, mas quando começa o jogo, são onze contra onze dentro de campo e todo mundo querendo ganhar", analisou o defensor, que prometeu cometer comer grama no clássico .

Calma
Para sair do mau momento, contar com jogadores experientes pode ser fundamental. Do alto de seus 32 anos, Leandro Guerreiro procura passar tranqüilidade para os jogadores mais novos do elenco.

“O que eu posso passar para os meus companheiros, principalmente os mais jovens, é que temos que manter a tranquilidade acima de tudo. Nada de desesperar, não pode querer achar culpado nessa hora. Se ganhar, todo mundo vai ganhar. E se perder, todo mundo vai perder”, disse o volante cruzeirense.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.