Tamanho do texto

Depois do Estudiantes, vítima da vez foi o Guaraní, do Paraguai, que perdeu por 4 a 0 na Arena do Jacaré

O Cruzeiro não vem tomando conhecimento de seus adversários na Arena do Jacaré. Na noite dessa terça-feira, o time celeste goleou o Guaraní, do Paraguai, por 4 a 0, em Sete Lagoas. O triunfo deixa o time cruzeirense na liderança do Grupo 7, com seis pontos e 100% de aproveitamento na competição. Mais uma vez, brilhou a estrela do atacante Wallyson, autor de dois gols na vitória. Farías e Thiago Ribeiro completaram a goleada

Assim como fizera na estreia, a torcida cruzeirense fez bela festa na Arena do Jacaré, mostrando que está na sintonia da Libertadores. Ao contrário do que se esperava, não houve a inversão nos lados dos laterais, com Pablo atuando pela direita e Diego Renan pela esquerda.

A primeira chance cruzeirense foi de Montillo, que levantou a bola após cruzamento de Pablo e chutou com perigo. Os paraguaios responderam com Benítez, que chutou por cima da meta de Fábio. E o primeiro gol do Guaraní não saiu logo na sequência pois o zagueiro Victorino impediu finalização perigosa de Marecos. A defesa celeste não se acertava no início do jogo e o ataque do Guaraní se aproveitava. Depois de cruzamento pela direita, Fabio Escobar cabeceou e acertou a trave de seu xará cruzeirense.

Wallyson comemora um dos seus gols na boa vitória cruzeirense em Sete Lagoas
Reuters
Wallyson comemora um dos seus gols na boa vitória cruzeirense em Sete Lagoas

Depois dessas chances, o Cruzeiro acordou e passou a dominar a partida, com o time adversário mais recuado e esperando para ameaçar nos contra-ataques. Como o meio estava muito congestionado, Pablo e Diego Renan passaram a ser muito acionados pelas pontas, mas erravam muitos cruzamentos. Se os laterais não vinham bem nas bolas alçadas na área, o gol saiu depois de um escanteio cobrado por Montillo. A defesa paraguaia rebateu mal e Wallyson acertou um belo chute, de primeira, para abrir o placar. Foi o terceiro gol do atacante na Libertadores, já que havia marcado duas vezes na estreia contra os argentinos dos Estudiantes.

O segundo tempo começou com muita chuva na Arena do Jacaré, tornando a partida ainda mais truncada. Em lance polêmico na grande área, Montillo foi derrubado e o juiz nada marcou, ainda amarelando o camisa 10 cruzeirense para a ira da torcida azul em Sete Lagoas. Depois de muito lutar e pouco produzir, o atacante Wellington Paulista deu lugar ao argentino Farías, que fez sua estreia na Libertadores. Mas a noite era mesmo de Wallyson. Depois de belo passe de Montillo, o camisa 16 mostrou que se sente à vontade na Libertadores e balançou as redes novamente, para delírio da torcida.

O curioso é que Wallyson começou a temporada na reserva e ganhou a vaga de titular de Thiago Ribeiro, atacante que terminou a Libertadores passada como artilheiro, com oito gols. Wallyson foi substituído já no final da partida e a torcida cruzeirense reconheceu a grande jornada do atacante, gritando seu nome e aplaudindo bastante.

Atrás no marcador, o Guaraní passou a se aventurar mais no ataque, mas a pontaria paraguaia não estava das melhores. Com a vantagem construída, o Cruzeiro passou a administrar a posse de bola, trocando passes enquanto os torcedores gritavam "Olé", assim como já havia acontecido na estreia. As substituições de Cuca surtiram efeito e o time celeste ainda marcou duas vezes. Farías mostrou oportunismo e fez o terceiro, enquanto Thiago Ribeiro soltou uma bomba para completar a goleada.

FICHA TÉCNICA - CRUZEIRO 4 X 0 GUARANÍ (PAR)
Local: Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 22 de fevereiro de 2011, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Raúl Orozco (BOL)
Assistentes: Jorge Calderón (BOL) e Efraín Castro (BOL)
Renda: R$ 275.668,02
Público
:12.067 pagantes
Cartões amarelos: Victorino, Gil, Montillo e Farías (CRU), Fábio Escobar,Angel Ortiz Miguel Paniagua (GUA)


Gols:
Cruzeiro: Wallyson, aos 29 minutos do primeiro tempo e aos 18 minutos do segundo tempo, Farías, aos 41 minutos do segundo tempo e Thiago Ribeiro aos 44 minutos do segundo tempo.

CRUZEIRO: Fábio; Diego Renan, Gil, Victorino e Pablo; Marquinhos Paraná, Henrique, Roger (Thiago Ribeiro) e Montillo; Wallyson (Dudu) e Wellington Paulista (Farías)
Técnico : Cuca

GUARANÍ (PAR) : Pablo Aurrecochea, Eduardo Filippini, Ignacio Ithurralde (Pedro Chavez) (Tomás Bartomeus), Joel Benitez e Federico Carballo; Elvis Marecos, Miguel Paniagua, Angel Ortíz e Jorge Mendoza (Osvaldo Hobecker); Julián Benítez e Fabio Escobar.
Técnico: Carlos Compagnucci