Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Criado no Atlético-MG, Fillipe Soutto comemora primeiro clássico

Jogador de 20 anos, de Belo Horizonte, e vai enfretar o Cruzeiro como profissional pela primeira vez

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

Flickr/Clube Atlético Mineiro
Fillipe Soutto tem apenas oito partidas como jogador profissional, todas como titular
O volante Fillipe Soutto entrou no time titular do Atlético-MG na partida contra o Democrata-GV, pela nona rodada da primeira do Campeonato Mineiro. Desde então o jovem jogador de 20 anos não saiu mais da equipe. Já são seis jogos consecutivos na equipe, sempre com bom futebol, que fazer de Fillipe Soutto titular mesmo com o retorno de Richarlyson.

Porém a semana vai ser diferente para o volante atleticano. Natural de Belo Horizonte e criado nas categorias de base do Atlético-MG, Fillipe Soutto nunca escondeu que é torcedor alvinegro e no domingo vai disputar o primeiro clássico como jogador profissional. Acostumado a enfrentar o maior rival, mas na época da base, o jogador avisa que tudo agora é diferente.

“Encaro com naturalidade, mas com muita felicidade e motivação. Na base eu joguei muitos clássicos, tive êxitos em alguns e derrotas em outros. Mas agora começa do zero, no profissional e tudo diferente, a pressão e cobrança são maiores. Com certeza vai ser muito importante para mim, para a minha carreira e para o futuro do Atlético entrar bem na semana que vem”.

Além da qualidade em campo, Fillipe Soutto tem se mostrado um verdadeiro pé-quente. Das oito partidas que ele disputou como profissional, o Atlético-MG venceu seis e empatou duas. Foram um empate e uma vitória no Brasileiro do ano passado, já com Dorival Júnior, e são cinco vitórias e um empate em 2011.

Fillipe ganhou oportunidade na equipe titular com a dispensa de Zé Luís e a contusão de Richarlyson, que se recuperou e ficou no banco contra o América-MG. Mas com o cartão vermelho recebido pelo companheiro, Soutto vai permanecer como titular. No entanto, o jogador atleticano não vê a situação dessa maneira. Para ele era importante o Atlético-MG contar com força máxima diante do Cruzeiro.

“O time precisa ser forte e ter ajuda de todos é primordial para isso. Creio que o Atlético forte é esse Atlético que vimos diante do América. Um time unido, disposto, raçudo e, principalmente, concentrado. Esse interesse que tivemos pelo jogo, com o foco maior de conquistar a vitória e não jogar pela vantagem foi o que nos fez fazer uma grande partida”.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG