Tamanho do texto

Ex-dirigente da Confederação Asiática de Futebol foi banido por acusação de compra de votos

A CAS (Corte Arbitral do Esporte) rejeitou um pedido de Mohamed bin Hammam para reassumir a direção da CAF (Confederação Asiática de Futebol), disse a entidade nesta segunda-feira.

O catariano, de 62 anos, foi banido do futebol para sempre depois de ser acusado pela Fifa de oferecer subornos quando era candidato a presidente da entidade que comanda o futebol mundial, em maio.

Bin Hammam tentava reassumir também a vaga asiática no comitê executivo da Fifa , que está sendo interinamente ocupada pelo chinês Zhang Jilong.

O dirigente queria impedir Joseph Blatter de obter seu quarto mandato consecutivo na Fifa, mas retirou sua candidatura depois de ser acusado de entregar 40 mil dólares a delegados caribenhos em envelopes pardos.

Bin Hammam se diz inocente das acusações, e levou o caso à Corte Arbitral após perder um recurso contra o seu banimento na própria Fifa, no mês passado.

A CAF disse em nota estar satisfeita com a decisão da Corte Arbitral de manter Zhang no comando da entidade regional asiática.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.