Clube estabeleceu como uma das metas do primeiro semestre chegar aos 25 mil sócios. Para isso, quer atrair o torcedor avulso

O Coritiba estabeleceu duas metas no Campeonato Paranaense: uma é ganhar o bicampeonato estadual e a outra é atingir a marca de 25 mil sócios-torcedores. Para o primeiro objetivo, investiu na manutenção do elenco que venceu a série B do Brasileiro. A fim de atingir o segundo, decidiu “forçar” a adesão de sua torcida ao programa de fidelização do clube. Isso se deu através da alta nos preços dos ingressos. O torcedor que quiser comprar ingresso avulso vai pagar R$ 60 ao longo da disputa do Estadual e da Copa do Brasil. Para o Brasileiro, o Coritiba pode subir ainda mais o valor. Especula-se que possa chegar a R$ 100.

Com isso, ser sócio tornou-se vantagem. Pagando uma parcela de R$ 50, o torcedor pode assistir de três a quatro partidas por mês. “Queremos nossa torcida ajudando o clube a montar um time capaz de disputar títulos e não apenas para ser figurante”, disse o vice-presidente de futebol, Vilson Ribeiro de Andrade, nesta terça-feira, durante o anúncio de que o Coritiba renovou o contrato com seu patrocinador master, o banco BMG. “Nossos patrocinadores são amigos comprometidos com o clube. Queremos isso de nossa torcida também”, completou.

Caso atinja a marca de 25 mil, o Coritiba estará também dando uma resposta ao rival Atlético-PR, que há mais de três anos já contabiliza quase 20 mil sócios contra os atuais 17 mil do clube. Na segunda-feira, o Coritiba chegou até a ouvir uma provocação do presidente do Atlético-PR, Marcos Malucelli. “Há 10 anos somos os maiores do Estado”, disparou o dirigente. Nesta terça, o Coritiba respondeu educadamente. “São forças que se equivalem”, disse Ribeiro, para emendar: “Mas no campo, temos mais títulos.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.