Tamanho do texto

Mesmo com um a mais em campo, o São Paulo passou sufoco nos minutos finais contra o time paranaense

Foi uma partida de tirar o fôlego no Alto da Glória, com expulsões e dois tempos distintos. O São Paulo venceu o Coritiba por 4 a 3, e se isolou na vice-liderança do Campeonato Brasileiro 2011, mas passou sufoco nos minutos finais. O zagueiro Pereira lembrou que, mesmo em dificuldades em campo, com três gols atrás e um jogador a menos, o time tinha que reagir para não decepcionar as mais de 20 mil pessoas que foram apoiar o Coritiba.

"O torcedor vem para nos apoiar, neste horário complicado. Agora é procurar corrigir alguns erros", disse o defensor, cuja opinião foi apoiada pelo goleiro Edson Bastos. "Erramos muito. A equipe não erra tanto assim. No segundo tempo a gente tentou. O São Paulo aproveitou as oportunidades Jogou fechado, aproveitando os jogadores velozes para os contra-ataques. Mas erramos demais", afirmou o camisa 1.

O atacante Bill, autor de dois gols, acredita que o primeiro tempo apático definiu o resultado, além de supostas falhas da arbitragem que prejudicaram o time da casa. "Acho que a gente acordou tarde demais na partida. O segundo tempo foi totalmente diferente que o primeiro. E teve três mãos ali dentro da área ele (árbitro) não deu", avaliou.

Anderson Aquino, que entrou durante o intervalo, foi outro que lamentou a reação tardia e alerta o time para que evite outros tropeços. "Se tivesse jogado desde o início do jogo dessa forma, teríamos outra sorte. Mostramos que temos um time bom, um elenco bom. Mas ficar no quase não dá. Temos que melhor no campeonato se quisermos algo mais lá na frente", concluiu.