Mesmo com grande atuação do goleiro Muriel, time de Falcão acabou cedendo o empate no Couto Pereira

Falcão, técnico do Inter , sentiu a necessidade de mudar, optou por Muriel no gol e Glaydson no meio-campo. Seus escolhidos quase lhe dão a vitória na quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Mas não foi o suficiente para o seu sistema tático mais robusto sair intacto do Couto Pereira. O Coritiba conseguiu marcar o seu gol, empatando o jogo por 1 a 1.

Muriel assumiu a vaga de Renan, cujo contrato terminará no fim do mês e não será renovado. O goleiro foi um gigante em campo. Salvou pelo alto e embaixo das traves. Efetuou dois milagres em um lance só. No lance do gol do Coxa, aos 29 minutos do segundo tempo, defendeu o pênalti de Davi e ainda tocou na bola antes de ela cruzar alinha no chute de seu rebote.

Entre para a Torcida Virtual e convide seus amigos

Já Glaydson atuou na vaga de Oscar, fortalecendo a consistência defensiva. Em chute de fora da área, ele marcou o gol gaúcho, no começo do segundo tempo. Porém, a ausência da manutenção da bola no campo ofensivo impôs pressão dos donos da casa até sair o gol de empate.

null

Falcão segue sem perder fora de casa, com três vitórias e três empates. O Colorado é o 12º colocado, enquanto os paranaenses ocupam o 16º lugar, saindo da zona de rebaixamento.

A próxima rodada reserva o Cruzeiro para o Coritiba, enquanto para o Inter o próximo adversário será o Figueirense.

O jogo
Quando a situação está próxima do limite, muitas vezes, são necessárias atitudes drásticas. Foi o que Paulo Roberto Falcão, técnico do Inter, fez. Tirou Oscar, o destaque da temporada, para colocar Glaydson, dando maior consistência à defesa, que vazou nos últimos 10 jogos. No gol, entrou Muriel. Juan ingressou na zaga devido a uma indisposição intestinal de Rodrigo. Não tomar gol era o objetivo principal. Marcar seria um assessório bem vindo para o momento instável.

O Coritiba, dono do melhor ataque do futebol brasileiro na temporada, impôs sufoco nos primeiros 30 minutos. Nesse período, a bola atravessou a área colorada inúmeras vezes. Os espaços no meio-campo eram latifúndios loucos para se tornarem produtivos. O meio-campo colorado assistia ao jogo nos chutões que saíam da defesa para o ataque.

Muriel lamenta após defender o pênalti, mas sofrer o gol no rebote
AE
Muriel lamenta após defender o pênalti, mas sofrer o gol no rebote

Pelo alto, Bill quase marcou, aos 21 minutos, na primeira oportunidade cristalina da noite curitibana. Mesmo sem criatividade e articulação, o Inter conseguiu produzir dois lances interessantes. Zé Roberto, em chute desviado de fora da área, obrigou Edson Bastos a espalmar para escanteio. Depois, Leandro Damião disparou um foguete defendido pelo goleiro.

Os três volantes gaúchos não impediram que os donos da casa levassem perigo a Muriel. O goleiro colorado foi a razão para a defesa sair intacta na etapa inicial. No mesmo lance, ele salvou duas vezes. A primeira nos pés de Bill, depois, no outro lado do gol, saltou para evitar que o chute de Everton Ribeiro encontrasse as redes.

Uma parte do plano estava arquiteta, faltava a outra. Ela demorou somente quatro minutos do segundo tempo para se materializar. Em chute de fora da área, o escolhido de Falcão, Glaydson, acertou chute de longa distância para deixar os visitantes em vantagem.

Restava a terceira etapa seguir funcionando. Em vantagem, os colorados tentaram segurar o resultado. Mesmo que tivesse perdido a posse de bola, vendo o Coritiba agredir a todo instante. A proteção vermelha funcionava, exceção ao arremate de Davi, que carimbou a trave, as jogadas eram mantidas longe do gol de Muriel. Nos contra-ataques, o Inter teve a oportunidade de definir a vitória.

Zé Roberto, em escapada pela esquerda, viu Edson Bastos salvar. Damião perdeu, pelo alto, chance que não costuma desperdiçar.

Mesmo que tivesse todo o domínio, o Coritiba precisou de uma ajudinha para marcar o seu. Kleber puxou Bill na área, aos 28 minutos. Davi cobrou, Muriel parecia intransponível e salvou, no rebote o meia do Coxa, finalmente, colocou para dentro. O Inter chegou à 11ª partida consecutiva em que é vazado.

FICHA TÉCNICA: CORITIBA 1 X 1 INTERNACIONAL

Local : Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Data:
19 de junho de 2011, domingo
Horário : 18h30 (de Brasília)
Renda : R$ 321.090,00
Público : 21.598
Árbitro : Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes : Carlos A. Nogueira Junior e João B. Nobre Chaves (ambos de SP)
Cartões amarelos : Willian, Pereira e Tcheco (Coritiba); Guiñazu, Leandro Damião, D'Alessandro e Ney (Inter)

GOLS:
CORITIBA : Davi, aos 29 minutos do segundo tempo;
INTER: Glaydson, aos 4 minutos do segundo tempo;

CORITIBA : Edson Bastos; Jonas, Jeci, Pereira e Eltinho (Tcheco); Willian, Léo Gago (Everton), Rafinha e Davi; Everton Ribeiro (Geraldo) e Bill
Técnico: Marcelo Oliveira

INTER : Muriel; Nei, Bolívar, Juan e Kleber; Guiñazu, Tinga (Wilson Matias), Glaydson (Ricardo Goulart) e D'Alessandro (Fabrício); Zé Roberto e Leandro Damião
Técnico: Paulo Roberto Falcão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.