Tamanho do texto

Coritiba quer encostar no grupo da Libertadores, enquanto Atlético-PR deseja sair da zona de rebaixamento

Um quer chegar mais próximo do topo da tabela, o outro quer se afastar das últimas posições na classificação. É assim que Coritiba e Atlético-PR se encontram no Atlétiba deste sábado, no estádio Couto Pereira, na rodada que fecha o primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

Com 25 pontos e na décima colocação, o time alviverde acredita que pode brigar por uma vaga na Libertadores da América do ano que vem. Para isso, precisa tirar um déficit de seis pontos do Botafogo, atual quinto colocado e que estaria com a última vaga para o torneio continental.

Entre para a Torcida Virtual do Atlético-PR ou do Coritiba e ajude seu time a subir no ranking

Já pelo lado atleticano, o objetivo é sair e se afastar o máximo das últimas colocações. Com 16 pontos, o Atlético-PR é o 17º colocado e precisa vencer para poder terminar o turno fora da zona de rebaixamento.

"Às vezes, um clássico, para uma equipe que não vem tão bem, é uma grande chance para ele crescer na competição. Quando uma equipe está bem, acha que o jogo está ganho, que vai ser fácil e as coisas se complicam", avaliou Renato Gaúcho.

Por isso, as duas equipes fazem mistério e evitam falar em favoritismo de qualquer lado.

"Eu disputei muitos clássicos como atleta e muitos clássicos como treinador também. É antigo, mas verdadeiro, quando dizem que não existe um favorito quando você joga um clássico", revelou Marcelo Oliveira.

O treinador do Coritiba não confirma o time que entra em campo. Com três suspensões - Leandro Donizete, Jonas e Maranhão - , ele tem uma lacuna no meio-campo e na direita. Os substitutos só foram definidos em um treino secreto.

"Isso (esconder a escalação) normalmente não acontece no Coritiba, pois vocês (repórteres) sempre recebem a escalação antes, mas dessa vez houve esse problema da suspensão e a gente criou essa expectativa que possa dar um detalhe a mais no encaixe da marcação do adversário", explicou Marcelo Oliveira.

Apesar disso, é provável que William Leandro seja o ala da direita, enquanto William será o volante de marcação ao lado de Léo Gago. É possível ainda que o time comece com três zagueiros: Jéci, Pereira e Emerson.

"O importante é o time estar equilibrado. Você abre mais do lado direito para atacar ou fecha e dá a liberdade para outros jogadores. A expectativa é essa: trazer um time equilibrado e que possa defender e atacar muito bem", prometeu o treinador do time alviverde.

Técnico Renato Gaúcho comanda a virada atleticana
AE
Técnico Renato Gaúcho comanda a virada atleticana
No lado do Atlético-PR não é diferente e Renato Gaúcho não revela o time que entra em campo. Porém, as únicas mudanças são os retornos do volante Deivid no meio e do zagueiro Fabrício na defesa.

"Tudo pode acontecer. Então, 45 minutos antes, vocês vão saber a equipe. O grupo está concentrado e qualquer um deles pode jogar. E em qualquer um deles eu confio", disse o treinador.

Sem perder há seis rodadas, com três vitórias e três empates no Brasileirão, o treinador está confiante para o clássico deste sábado. Uma vitória pode tirar o time da zona de rebaixamento.

"Se a gente sair nessa rodada da zona de rebaixamento, ótimo. Mas eu já falei para vocês (jornalistas) lá atrás, quando o Atlético estava na zona, o Atlético pode sair e voltar, pode não sair. O Atlético vai remar por um bom tempo contra a maré. Vai sair mais cedo ou mais tarde e não vai voltar mais", finalizou o treinador.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA X ATLÉTICO-PR
Data/Hora: 27/08/2011, nesse sábado, às 18h (de Brasília)
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba-PR
Árbitro: Heber Roberto Lopes (FIFA-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Bruno Boschilia (PR)

Coritiba: Edson Bastos; Willian Leandro, Jéci, Emerson e Lucas Mendes (Eltinho); Willian, Léo Gago, Tcheco e Rafinha; Marcos Aurélio e Bill.
Técnico: Marcelo Oliveira

Atlético-PR: Renan Rocha; Edílson, Manoel, Fabrício e Paulinho; Deivid, Kleberson, Cléber Santana, Marcinho e Madson; Edigar Junio.
Técnico: Renato Gaúcho