Jogadores apostam em abrir vantagem mínima de dois gols para poder apenas administrar na Vila Belmiro

Os corintianos até apontam o Santos como favorito nos confrontos que valem o título do Campeonato Paulista, mas já têm uma previsão do que precisam fazer para ficarem tranqüilos para o jogo de volta, em Santos. Segundo eles o primeiro jogo, no Pacaembu, domingo, precisa terminar com uma vantagem de pelo menos dois gols para o Corinthians . Assim, o jogo do dia 15 de maio poderá ser melhor controlado.

“Se a gente fizer 2 a 0 vai ser o ideal. Não vai estar definido, claro, mas é um placar que nos deixa mais tranquilos. Foi assim em 2009, quando a gente foi bem na ida. E a gente precisa aproveitar o apoio do nosso torcedor”, disse o atacante Jorge Henrique , que estava presente nos dois jogos entre Corinthians e Santos nas finais do Estadual de dois anos atrás.

“A gente tem que fazer uma grande vantagem no primeiro jogo, pela qualidade do Santos. Se a gente não levar um bom resultado para a Vila pode complicar”, completou.

Por mais complicada que possa ser a tarefa de conseguir abrir vantagem sobre o Santos de Neymar , Ganso e companhia, os corintianos se inspiram no duelo entre as duas equipes do dia 20 de fevereiro, quando, quase com a equipe completa (só Ganso não jogou), o Santos não foi páreo para o Corinthians, que venceu por 3 a 1, no Pacaembu .

“Naquele jogo a gente teve uma tarde muito feliz, conseguimos uma vitória importante num momento que era muito difícil. Fomos bem em todos os sentidos”, disse o lateral-esquerdo Fábio Santos , que marcou dois gols na partida: um de falta e outro de pênalti. Liedson completou. 

“A situação hoje é outra, o Santos é outro, com outro treinador, e eles estão num momento muito bom, de evolução”, completou o lateral.

De fato, o Santos sofreu apenas dois gols nos oito jogos em que foi comandado por Muricy Ramalho .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.