Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Corinthians vence Vasco, mas vê título ainda mais distante

Time fez sua parte com os 2 a 0, mas vitória do Fluminense o manteve na vice-liderança e sem depender de si próprio para ser campeão. Assista aos gols do jogo no vídeo abaixo

Bruno Winckler, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854204240&_c_=MiGComponente_C

O Corinthians fez a parte dele contra o Vasco neste domingo no Pacaembu. Venceu por 2 a 0, com gols de Bruno César e Danilo, e levou a decisão do Campeonato Brasileiro para a última rodada. Ainda sem depender só de suas forças para ser campeão, o time paulista terá de secar o Fluminense mais uma vez. Contra o Palmeiras não deu certo.
O Corinthians terá de bater o Goiás, no dia 5, no Serra Dourada, e torcer para que o Guarani, já rebaixado, tire pontos do Fluminense no Engenhão. Com 67 pontos, o Corinthians segue um atrás do líder Fluminense e só um tropeço dos cariocas na rodada final pode manter vivo o sonho do título para os corintianos.  A derrota no Pacaembu não fez muita diferença para o Vasco. Com 46 pontos o time de São Januário já não corre riscos de ser rebaixado e tem assegurada uma vaga na Copa Sul-Americana de 2011.

O clima no Pacaembu era totalmente favorável para o Corinthians conseguir uma vitória tranquila. E as primeiras notícias que vieram de Barueri, onde o Fluminense e Palmeiras se enfrentavam, fizeram a esperança dos corintianos se renovarem.

Logo no início dos jogos da rodada, quando Dinei abriu o placar para o Palmeiras na Arena Barueri os torcedores corintianos deixaram a rivalidade em segundo plano e fizeram muito barulho no Pacaembu. O atacante palmeirense homônimo de um ex-corintiano bicampeão brasileiro pelo Corinthians em 1990 e 1998 fez o estádio explodir em euforia, na esperança de verem o Corinthians conquistar seu quinto Brasileirão.

Gritos de Palmeiras, Palmeiras foram entoados sem constrangimento algum pela maioria dos corintianos presentes. Apenas os torcedores das organizadas que ocuparam as arquibancadas resistiram um pouco. Alô, porcada, vai se f*, o Coringão não precisa de você.


O jogo

Em campo, talvez empolgados com a notícia que vinha de Barueri, os jogadores do Corinthians deixaram claro logo no princípio que não dariam chance para a zebra passar pelo Pacaembu.

Roberto Carlos estava a fim de jogo. Dos pés de um dos poucos campeões brasileiros do elenco corintiano o time paulista criou as melhores chances no início do jogo. O camisa 6 tentou chutes perigosos de fora da área e em um deles, aos 10 minutos, o goleiro Fernando Prass rebateu para o meio da área. Bruno César pegou o rebote, mas chutou fraco e a defesa vascaína cortou a tentativa.

Jogando com Dentinho como referência no ataque, Danilo, Bruno César e Jorge Henrique formaram o trio ofensivo do meio campo e com eles o Corinthians impossibilitava qualquer atitude mais ousada dos vascaínos. O primeiro tempo já ultrapassava sua metade e o Vasco não assustava o Corinthians. Aos 24 minutos o Corinthians tinha 65% da posse de bola contra 35% dos vascaínos.

As melhores investidas do time carioca aconteciam apenas quando Carlos Alberto tentava avançar ao ataque à base de dribles na intermediária, na maioria das vezes bem interceptados pela marcação corintiana, comandada por Ralf. O primeiro chute com perigo ao gol de Júlio César foi dado por Éder Luís, aos 28 minutos, que chutou forte, mas para fora do gol.

Um pouco antes, aos 27 minutos Jucilei fez boa jogada pelo lado direito do ataque corintiano e rolou para Bruno César na entrada da área. O meia rolou a bola para Roberto Carlos que chegava pelo lado esquerdo com boas condições de chutar a gol. O lateral tentou, mas a bola não saiu com tanta força e Fernando Prass fez a defesa. Enquanto isso o Fluminense empatava com o Palmeiras em Barueri o que abrandouu um pouco o ânimo das arquibancas

A alegria só foi completa aos 39 minutos quando o Corinthians abriu o placar com Bruno César. O meia chutou forte de fora da área, mas a bola não iria para o gol. Para a sorte do Corinthians e azar de Vasco, Fluminense e Cruzeiro, o zagueiro Dedé tentou desviar a bola, mas falhou para dentro do gol de Fernando Prass. Com esse resultado e o empate momentâneo dos rivais na Arena de Barueri o Corinthians assumia a liderança. E foi assim que o Corinthians foi para o intervalo.

Na volta do intervalo, na área do Pacaembu onde ficam os membros da Gaviões da Fiel, alguns fogos de artifício foram soltos e quase criou um acidente. Seria um princípio de festa? Uma bandeira pegou fogo, dispersou os torcedores, mas os bombeiros de plantão no Pacaembu agiram rápido e apagaram o princípio de incêndio.

AE
Danilo cabeceou e marcou o segundo gol da vitória do Corinthians


Ainda fervendo e melhor em  campo contra um Vasco que pouco oferecia, o Corinthians ainda mais motivado pelo resultado da partida do Fluminense em Barueri, quase marcou logo aos três minutos de jogo. Danilo recebeu de Roberto Carlos na área, girou e soltou uma bomba. Fernando Prass fez linda defesa e espalmou para escanteio. O segundo gol não demoraria para acontecer. Aos 12 minutos em outra jogada entre Roberto Carlos e Danilo, o Corinthians marcou. O lateral cruzou pela esquerda e Danilo marcou de cabeça. O Pacaembu explodiu em alegria, mas essa euforia duroou pouco.

O segundo gol do Fluminense esfriou as comemorações pelo gol de Danilo no Pacaembu. A empolgação dos corintianos virou apreensão. De nada valia a vitória contra o Vasco se o Fluminense não tropeçasse em Barueri. E mesmo que o placar eletrônico do Pacaembu não tenha anunciado o gol segundo gol do Fluminense, os torcedores ligados a seus radinhos de pilha sabiam que a vitória do Corinthians era insuficiente para uma comemoração completa.

Depois da virada em Barueri o Corinthians controlou seu jogo e segurou o resultado. Não queria perder a vantagem. Com um a menos a partir dos 28 minutos (Zé Roberto foi expulso), o Vasco não tinha poder para reagir. E assim a partida terminou. A alegria corintiana não foi completa. O time ainda depende de um resultado improvável como um empate do Guarani com o Fluminense na última rodada para ser campeão. Fica tudo para a próxima rodada.

Milton Trajano
Presidente corintiano e Ronaldo em charge
Presidente corintiano e Ronaldo em charge


FICHA TÉCNICA ¿ CORINTHIANS  2 x 0 VASCO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 28 de novembro de 2010
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (RS - Fifa) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Cartões amarelos: Renato Augusto, Zé Roberto (VAS)
Cartão vermelho: Zé Roberto (VAS)
Renda: R$ 1.190.821,50
Público: 33.487 pagantes (36.584 presentes)

GOLS: Bruno César, aos 39 minutos do primeiro tempo e Danilo aos 12 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Bruno César (Defederico) e Danilo; Jorge Henrique e Dentinho (Iarley). Técnico: Tite.

VASCO: Fernando Prass; Fagner (Irrazabal), Dedé, Douglas e Ramon (Diogo); Rômulo, Renato Augusto, Allan (Fumagalli) e Carlos Alberto; Zé Roberto e Éder Luis. Técnico: PC Gusmão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG