Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Corinthians vence São Paulo, mantém tabu e ganha fôlego na luta pelo título

Com vitória no clássico paulista, time chega a 60 pontos e segue a um do Fluminense, ainda líder isolado

Levi Guimarães, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861519323&_c_=MiGComponente_C

Em um clássico que teve um duelo equilibrado dentro de campo mas desigual nas arquibancadas, quem saiu feliz do Morumbi foi a minoria corintiana. Os cerca de três mil torcedores do time que compareceram ao estádio rival viram o Corinthians vencer por 2 a 0 e ganhar fôlego na luta pelo título brasileiro.

Assista aos gols

Com 60 pontos, o Corinthians continua em segundo lugar, empatado com o Cruzeiro e um ponto atrás do líder Fluminense. Já o São Paulo, estacionado nos 50 pontos, praticamente deu adeus ao sonho de conquistar uma vaga na Copa Libertadores da América. Agora, resta lutar pelo quarto lugar e torcer para que nenhuma equipe brasileira vença a Copa Sul-Americana.

As figuras decisiva do clássico foram Elias e Dentinho. O volante, autor do primeiro gol, marcou pela terceira vez contra o São Paulo apenas neste Brasileirão. No primeiro turno, ele marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o rival. Já o atacante marcou aos 40 minutos do segundo tempo e garantiu a vitória quando o São Paulo ainda tentava buscar o empate.

Os principais problemas para o São Paulo acabaram sendo mesmo os desfalques de Richarlyson e Carlinhos Paraíba, ambos suspensos. Com Diogo na lateral-esquerda e Casemiro, o time perdeu tanto o poder de marcação quanto a velocidade na saída de jogo. O técnico Paulo César Carpegiani tentou consertar o posicionamento no intervalo substituindo os dois por Jorge Wagner e Ilsinho, mas apesar da sensível melhor, o empate não veio.

A vitória também serviu para o Corinthians aumentar o tabu sobre o rival, já que o time não perde do São Paulo desde fevereiro de 2007, em jogo válido pelo Campeonato Paulista. E a marca vai ultrapassar os quatro anos, já que o próximo encontro entre as duas equipes acontece apenas em março do ano que vem, pelo torneio estadual. No período, foram onze jogos, com sete vitórias corintianas e quatro empates.

Na 35ª rodada, o São Paulo faz um intervalo na sequência de jogos contra os líderes da classificação. Antes de receber o Fluminense, os comandados de Carpegiani vão ao Rio de Janeiro no próximo domingo enfrentar o Vasco em São Januário. Já o Corinthians volta a ter um confronto no qual não pode tropeçar. No sábado, o time recebe o Cruzeiro no Pacaembu.

O jogo
No início, o São Paulo teve domínio total da posse de bola por dois minutos. Mas o primeiro chute a gol foi corintiano, o que já foi um indício do que seria o jogo. Depois de desarmar Rodrigo Souto ainda no campo de defesa do São Paulo, Jucilei passou para Ronaldo e o camisa nove bateu à esquerda de Rogério Ceni. Nas redes, mas pelo lado de fora. O São Paulo respondeu com chute de Jean que saiu muito longe do gol de Júlio César.

O respeito mútuo entre os adversários era claro e os primeiros dez minutos foram mais de estudo e troca de passes do que de jogadas incisivas. Bola com o São Paulo, o Corinthians recuava todo o time para trás do meio de campo, com exceção apenas de Ronaldo. Bola com o Corinthians, o São Paulo adotava postura semelhante.

Na metade do primeiro tempo, apesar do equilíbrio, o Corinthians parecia mais equilibrado no jogo, com uma postura de marcação que não permitia ao São Paulo criar chances e encontrando algum espaço para atacar, principalmente pelo lado esquerdo da defesa são-paulina, onde Diogo não conseguia dar segurança.

Somente aos 29 minutos, no entanto, aconteceu uma jogada de real perigo de gol. Elias puxou contra-ataque se livrando da marcação no meio de campo do São Paulo e passou para Ronaldo. O atacante deixou Bruno César de frente para o gol e o camisa dez chutou para boa defesa de Rogério Ceni.

O jogo melhorou nos minutos finais da primeira etapa e o São Paulo finalmente acordou. Aos 32, Dagoberto e Lucas fizeram bela tabela já dentro da área corintiana e o meia chutou forte, exigindo elasticidade de Júlio César na defesa. Na sequência, Jean chutou de longe e Júlio César defendeu, mas deu o rebote. Ricardo Oliveira cabeceou e só então o camisa um segurou a bola.

Aos 34, foi a vez de Rogério Ceni mostrar serviço. Chicão cobrou falta da esquerda com perfeição, no ângulo esquerdo do goleiro são-paulino, que chegou no último instante para espalmar a escanteio. No mesmo lance, Alex Silva recebeu o cartão amarelo por reclamar da marcação da falta.

E ainda tinha mais. Aos 40, o Corinthians finalmente abriu o placar. Jucilei fez longo e preciso lançamento para Elias, que dominou, invadiu a área e chutou no canto direito de Rogério Ceni. A torcida são-paulina, treze vezes maior que a do rival, se calou. E o intervalo chegou com os visitantes na frente.

Para o segundo tempo, Carpegiani tentou mudar o São Paulo tirando justamente os reservas Diogo e Casemiro, que substituiram os suspensos Richarlyson e Carlinhos Paraíba. Jorge Wagner, retornando de uma fratura na mão esquerda, entrou na lateral-esquerda. E Ilsinho entrou na direita, com Jean sendo deslocado para o meio de campo.

Nos primeiros minutos em campo, os dois fizeram mais que os titulares nos 45 iniciais. Precisando buscar a virada, o São Paulo conscientemente se expôs ainda mais na defesa, mas pelo menos passou a ter novas opções para ameaçar o gol de Júlio César, especialmente com jogadas de linha de fundo, que pouco aconteceram na primeira etapa.

Até os quinze minutos, duas boas chances são-paulinas vieram em cobranças de escanteio, ambas pela esquerda, cobradas por Dagoberto. Na primeira, Ricardo Oliveira pegou de primeira e a bola saiu depois de desviar na defesa. Na segunda, Alex Silva subiu sozinho, mas cabeceou por cima do gol.

Na última tentativa de mudar alguma coisa no jogo, Carpegiani tirou Fernandão aos 22 minutos e colocou Marlos em campo. A melhor chance do empate, porém, veio somente doze minutos depois, quando Jorge Wagner acertou ótimo chute de fora da área, mas viu Júlio César, mais uma vez, afastar o perigo.

Aos 40 minutos, finalmente, saiu o segundo gol. Mas, para desespero da torcida são-paulina, não foi o empate e sim o 2 a 0 do Corinthians. Alessandro avançou até a linha de fundo pelo lado direito, cruzou para a pequena área e Dentinho ganhou dos zagueiros para mandar para o fundo das redes de Rogério Ceni. Final de jogo, Corinthians mais vivo do que nunca na luta pelo título e São Paulo praticamente eliminado da disputa por uma vaga na Libertadores 2011.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 x 2 CORINTHIANS

Local:
estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 07 de novembro de 2010, domingo
Horário: 17h (horário de Brasília)
Público: 42.667 pagantes
Renda: R$ 1.262.401,59
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)
Cartões amarelos: Alex Silva, Dagoberto e Ilsinho(São Paulo); Ronaldo, William, Roberto Carlos (Corinthians)

Gols:
CORINTHIANS: Elias, aos 40 minutos do primeiro tempo; Dentinho, aos 38 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Diogo (Jorge Wagner); Rodrigo Souto, Casemiro (Ilsinho), Lucas e Fernandão (Marlos); Dagoberto e Ricardo Oliveira
Técnico: Paulo César Carpegiani

CORINTHIANS: Júlio César, Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias (Paulinho) e Bruno César (Danilo); Dentinho (Iarley) e Ronaldo
Técnico: Tite

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG