Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Corinthians tem de driblar multidão no aeroporto de Salvador

Depois de duas horas de atraso, jogadores e comissão técnica foram recebidos por cerca de 400 torcedores na véspera do jogo contra o Vitória

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237859392838&_c_=MiGComponente_C

Êxtase, histeria e confusão foi o que causou o desembarque da delegação do Corinthians no fim da tarde deste sábado em Salvador. Depois de duas horas de atraso, jogadores e comissão técnica tiveram muito trabalho para driblar os cerca de 400 corintianos que se aglomeravam no saguão de desembarque do aeroporto Luiz Eduardo Magalhães para recepcionar os líderes do campeonato. O caminho até o ônibus que os levaria dali, um trecho de 50 metros, não foi fácil de ser percorrido.

Um batalhão de seguranças do clube e policiais militares faziam de tudo para evitar a aproximação dos fãs, ávidos por autógrafo, uma foto, ou até um aceno. Eu encostei a mão no braço do Ronaldo, gritou um torcedor logo após de estar ao lado do Fenômeno, o primeiro jogador a passar pelo saguão cercado por cinco guarda-costas. Antes dele, o diretor de futebol Mário Gobbi e o técnico Tite se dirigiram ao ônibus e mesmo não sendo astros perderam alguns segundos entre fotos e autógrafos.

Não esperávamos um carinho tão grande assim, mas esta é uma reta decisiva e por isso a gente toda essa manifestação. O jogo de amanhã é a primeira das finais que ainda faremos contra Vasco e Goiás, disse Gobbi.

Após Ronaldo, a segurança do Corinthians preferiu dividir os jogadores em grupos para evitar um tumulto maior. Logo depois do atacante, Roberto Carlos deixou o aeroporto com o mesmo número de seguranças,mas com o mesmo assédio. Enquanto os corintianos iam aos poucos passando pelo saguão lotado, os gritos de apoio não paravam de ser entoados pelos torcedores locais.

E entre vários pedidos feitos aos jogadores o que mais que se destacou foi  aquele que o todo corintiano, não só aquele que está na Bahia, gostaria de fazer a todo o elenco. Vamos ganhar esse penta, gritaram muitos torcedores, vislumbrando o título nacional, que seria o quinto da história corintiana. 

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthians

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG